05/12/2021 às 12h00min - Atualizada em 05/12/2021 às 12h00min

Nova estrutura do Porto Seco e balança comercial positiva colocam Uberlândia na rota do comércio exterior

Município apresentou superávit de US$ 470,94 milhões em exportações entre janeiro e outubro

GABRIELE LEÃO
Estrutura conta com área alfandegada de 150 mil m², sendo 10 mil m² de área para armazenagem coberta / Foto: DIVULGAÇÃO/PORTO SECO CERRADO
A balança comercial de Uberlândia apresentou um superávit de US$ 470,94 milhões nos dez primeiros meses deste ano. Segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, as compras feitas por outros países de produtos do município totalizaram US$ 714,18 milhões, de janeiro a outubro, enquanto as importações somaram US$ 243,24 milhões. Em 2021, a cidade, que é considerada a capital da logística, ganhou uma nova sede da estação aduaneira, conhecida como Porto Seco do Cerrado. A estrutura deve impactar de forma ainda mais positiva para o crescimento do setor.  
 
Segundo informações divulgadas pela empresa que administra o terminal intermodal desde 2016, somente em 2020, o Porto Seco de Uberlândia obteve um crescimento de 30% em comparação a 2019. Em entrevista ao Diário, o diretor geral, Pedro Carneiro, comentou que a expansão da estrutura na cidade impacta diretamente na economia e na visibilidade do município. “Em um momento onde ficar em casa foi tão importante, a importação e exportação não parou. Com a intenção de aumentar o serviço oferecido, em virtude da agilidade do processo de importação por meio do porto seco tivemos um crescimento de 30% no mercado”, disse.
 
Para se ter uma ideia, a estação aduaneira atende, em um raio de até 600 km, diversos segmentos, como bebidas, alimentícios, químico, tabaco, eletrônicos, têxtil, energia solar, maquinário agrícola e industrial, jardinagem, construção civil, além de atacadistas e distribuidores, fornecendo serviços logísticos e alfandegários, com foco na armazenagem, nacionalização ou internacionalização e transporte. 
 
A empresa também investiu em outros serviços, como o Corredor de Importação, um benefício fiscal concedido pelo Governo de Minas Gerais para promover as importações com diferenciação de ICMS na entrada e redução de alíquota na comercialização do material.
 
“Isto impacta diretamente no aumento da demanda por mão de obra direta e indireta, além da arrecadação de impostos municipais em virtude dos serviços e comercialização demandados por estes importadores e exportadores locais. O município consegue importar com muito mais agilidade e com benefícios fiscais, incentivando empresas a produzirem mais. A expectativa é que em 2022 o crescimento dos serviços chegue a 45%”, destaca.
 
PROJEÇÃO POSITIVA

Segundo o economista Filipe Prado Macedo, os portos secos representam a possibilidade de o comércio exterior se tornar mais acessível em áreas interioranas do país, sobretudo naqueles locais onde o porto marítimo é inviável e os aeroportos não têm capacidade para escoamento de carga.
 
“Uberlândia, além de ser uma grande referência em agronegócio, logística e polo universitário, também é considerado um grande produtor, isso se dá pelo fato de importar menos do que se exporta. Com o porto seco, a expectativa é que a cidade continue atraindo novos investidores e atraia expansão em todos os segmentos”, comentou o economista.
 
O especialista ouvido pelo Diário pontuou ainda que o Brasil recebe um grande fluxo de importações e exportações pelos portos marítimos e a estratégia de ter um porto seco abrange a possibilidade de posicionar a cidade como um hub logístico.
 
“O Porto Seco oferece postos para que a mercadoria fique estacionada até estar na rota de entrega, consequentemente, isso passa a atrair novos serviços, como, manutenção, autopeças e transporte, o que impacta de forma geral na estrutura do município”, explicou.
 
Filipe Macedo comentou também que a cidade está entre as mais bem colocadas quando o assunto é exportação. “Uberlândia está em 65º posição no ranking de cidades do Brasil que mais exportam para outras regiões. Isso mostra que o município tem estrutura para atender uma população de mais de 700 mil habitantes e ainda ser um grande produtor”, disse.
 
A NOVA ESTRUTURA
Atualmente, o Porto Seco atende mais de 80 empresas. Localizado em uma região estratégica (Anel Viário Ayrton Senna, 457), a nova sede tem uma área  total de 150 mil metros, sendo 10 mil m² de área para armazenagem coberta com capacidade aproximada para 10 mil posições-palete, seis docas para recebimento e expedição simultâneos, 16 mil m² de pátio para veículos e contêineres, além de balança para pesagem de bitrens. O local também conta com unidades da Receita Federal e Ministério da Agricultura para fazer o desembaraço aduaneiro.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »