26/11/2021 às 11h10min - Atualizada em 26/11/2021 às 11h10min

Alta nos combustíveis reduz lucro de motoristas de aplicativos em até 60% em Uberlândia

Profissionais disseram que aumento no número de cancelamentos de corridas está relacionado aos gastos que os motoristas estão tendo

MARIELLE MOURA
Preço alto dos combustíveis impactou o rendimento dos motoristas de aplicativo I Foto: MARCELLO CASAL JR.
A alta nos combustíveis vem impactando a realidade dos motoristas de aplicativos em Uberlândia. O Diário de Uberlândia conversou com motoristas que afirmaram que o rendimento com o trabalho diminuiu cerca de 60%. No mês de outubro o aumento no preço dos combustíveis impulsionou a inflação na cidade.
 
Tiago Batista Ferreira Paiva trabalha como motorista de aplicativo há mais de cinco anos e disse que quando começou o preço da gasolina era menos da metade do valor que ele paga hoje em dia.
 
“Quando comecei a gasolina estava R$3,89, eu lembro até hoje. Na época tínhamos um diferencial do preço do combustível e no primeiro ano havia aquela novidade do transporte por aplicativo, então tinha um número menor de carros e solicitações crescendo, fazendo com que as corridas tivessem um preço melhor que hoje”, disse.
 
Tiago ainda afirmou que os motoristas hoje em dia precisam saber em quais locais e horários que devem trabalhar para ganhar dinheiro. “Hoje, se o motorista não souber se posicionar em pontos estratégicos da cidade e atuar em horários de pico, o trabalho acaba se tornando inviável para o motorista”,informou.
 
De acordo com o motorista, o rendimento dele reduziu entre 50% e 60%, se comparado há 5 anos. Segundo ele, os fatores que mais pesam no orçamento, além do combustível, é a manutenção do veículo, que também subiu o preço.
 
O motorista ainda disse que, se o cenário não melhorar, ano que vem ele se vê obrigado a deixar o aplicativo. “Eu penso em sair do aplicativo quase todos os dias porque em alguns momentos fazemos a corrida por fazer, como moeda de troca, então para o ano de 2022 eu já penso em outra alternativa sem ser o aplicativo”.
 
Marcelo Carlos Ferreira também é motorista há mais de cinco anos na cidade e informou que aproximadamente 30% dos motoristas em Uberlândia pararam de rodar totalmente em 2021.
 
Segundo Marcelo, a manutenção do carro também pesa no orçamento do motorista. "Combustível caro e manutenção cara. Uma troca de pneu, por exemplo, que eu pagava em torno de R$800 e R$1.000, paguei R$1.600 na semana passada”, disse.
 
O motorista também disse que hoje em dia precisa trabalhar mais para conseguir pagar as contas. "Antigamente eu trabalhava em torno de 8 a 12 horas, hoje em dia tenho que trabalhar de 12 a 18 horas para conseguir manter as contas em dia”.
 
Por fim, Marcelo disse que o rendimento dele com o aplicativo reduziu de  50% a 70% esse ano e que só não parou de fazer as corridas porque conseguiu outra renda.  “Eu tenho outra renda, por isso continuo no aplicativo porque ele ajuda na minha renda. Já tive o aplicativo como principal fonte de renda, mas quando vi que não dava mais procurei outras formas”, completou.
 
CANCELAMENTOS
Os motoristas ainda comentaram que, muitas vezes quando estão trabalhando, passam por situações desagradáveis com os passageiros devido ao grande número de cancelamentos de corridas.
 
Tiago explicou que os gastos dos motoristas impactam na diminuição do número de corridas aceitas. “Sempre ouvimos muitos relatos de passageiros sobre a quantidade de cancelamentos que a pessoa teve antes de conseguir um carro. Esses gastos que o motorista tem também reflete no passageiro que tem uma maior dificuldade de encontrar um carro”, disse.
 
Marcelo também falou à reportagem sobre os cancelamentos das corridas e que, muitas vezes, o motorista cancela porque não compensa andar tanto para receber pouco. “O passageiro reclama que espera 15 ou 20 minutos para conseguir um carro. Antigamente não era assim, em 3 minutos já tinha um motorista, mas porque tinha muito motorista. Hoje não tem tantos, pois não compensa rodar”, completou Marcelo.
 
Ainda sobre o cancelamento, Marcelo informou que em algumas corridas o motorista ganha R$ 0,50. “Se te chamam por uma corrida mínima que custa R$ 6 e vc tem que buscar a pessoa em 3km e levar ela em 3km, já vai rodar 6km para ganhar R$6. O litro de etanol está entre R$5 e R$5,50, então o lucro vai ser de 50 centavos nessa corrida”, explicou
 
INFLAÇÃO
O Índice de Preços ao Consumidor de Uberlândia (IPC-CEPES) em outubro de 2021 apresentou variação de 1,04%. Dados da pesquisa realizada pelo Centro de Pesquisas Econômico-Sociais da Universidade Federal de Uberlândia (Cepes/UFU), revelou que os combustíveis foram um dos impulsionadores para o aumento.
 
"É um movimento que já vem ocorrendo há algum tempo. O preço internacional do barril de petróleo continua em um patamar alto. O dólar também segue o mesmo movimento devido, principalmente, à incerteza na economia”, informou o  economista e pesquisador do Cepes, Carlos Henrique Cássia Fontes.

POSICIONAMENTOS
A Uber informou que  opera um sistema de intermediação de viagens dinâmico e flexível e que considera as necessidades do motorista. Confira na íntegra 

“A Uber opera um sistema de intermediação de viagens dinâmico e flexível, por isso buscamos sempre considerar, de um lado as necessidades dos motoristas parceiros e, de outro, a realidade econômica dos consumidores que usam a plataforma, tendo em vista a preservação do equilíbrio entre oferta e demanda que é fundamental para a plataforma.
Com a pandemia, pessoas que antes não usavam a Uber no dia a dia agora estão optando pelo app. Uma pesquisa feita pelo Datafolha mostrou que os brasileiros consideram os apps de mobilidade um dos meios mais seguros para se locomover no contexto da pandemia e, dentre as empresas no mercado, a mesma pesquisa identificou que os entrevistados consideram a Uber a mais segura. 
 
Esse cenário de alta demanda por viagens vem se acentuando nas últimas semanas, conforme o avanço da campanha de vacinação e a reabertura progressiva de atividades comerciais pelas autoridades. Nesse sentido, os usuários estão tendo de esperar mais tempo por uma viagem porque, especialmente nos horários de pico, há momentos em que há mais solicitações do que motoristas parceiros disponíveis. 
 
Nessas situações, o preço dinâmico entra em vigor automaticamente. A ferramenta é eficiente porque, por um lado, faz alguns usuários adiarem as suas viagens à espera de um preço menor e, por outro, incentiva que mais motoristas parceiros se desloquem para atender uma determinada região, de forma a reequilibrar a relação oferta-demanda no mercado. O preço dinâmico é temporário, por isso, a dica para os usuários é esperar alguns minutos antes de voltar a verificar o novo preço da viagem no app, porque ele é atualizado constantemente.

Com o aumento constante dos combustíveis, a Uber tem intensificado seus esforços para ajudar os motoristas parceiros a reduzirem seus gastos, com parcerias que oferecem desconto em combustíveis, por exemplo, assim como tem feito uma revisão e reajustado os ganhos dos motoristas parceiros em diversas cidades. Os parceiros foram informados dos detalhes desse reajuste nos últimos dias. 

Por meio do programa de vantagens Uber Pro, a empresa lançou em 2021 diversas iniciativas e promoções para aumentar os ganhos em todos os tipos de viagem, de curta ou longa distância.

Motoristas parceiros são profissionais independentes e, assim como os usuários, podem cancelar viagens quando julgarem necessário. Cancelamentos injustificados muito excessivos, reiterados ou para fins de fraude, porém, configuram violação ao Código da Comunidade e aos Termos de Uso pois atrapalham o bom funcionamento da plataforma e prejudicam a experiência dos demais motoristas e usuários.”

Por sua vez, a 99  informou que existem 750 mil motoristas parceiros cadastrados em todo o país e não observou redução no número de parceiros desde o final de 2020, mas sim um aumento na demanda de usuários. Ressaltou que no segmento é permitido que os motoristas parceiros rejeitem, sem limites, corridas antes mesmo de serem efetivamente confirmadas para os passageiros em seus apps. 
 
A empresa salientou ainda que não bloqueia permanentemente os motoristas parceiros que cancelam corridas. Entretanto, atitudes que vão contra as políticas da plataforma ou infrações à lei vigente continuarão sujeitas às consequências previstas nos Termos de Uso da empresa.

Disse ainda que há menos de um mês, diante dos constantes reajustes dos combustíveis, que impactam negativamente o transporte por aplicativos, a 99 reajustou os ganhos dos motoristas parceiros entre 10% e 25%, nas 1.600 cidades do Brasil onde a empresa opera. 
 
Além disso,  lançou um pacote de ações chamado Mais Ganhos que prevê, entre outras iniciativas, o repasse integral do valor da corrida aos parceiros em localidades e horários específicos, que já representou ganhos extras de mais de R$10 milhões para os condutores. As medidas, segundo a FIPE, vão representar um acréscimo de R$ 500 milhões no PIB brasileiro até o final do ano. Outra medida implementada pela 99 a todos os motoristas é o desconto de 10% em todos os postos da rede Shell, o que já gerou uma economia de R$ 5 milhões aos motoristas parceiros.

Já a Associação Brasileira de Mobilidade e Tecnologia (Amobitec) disse que entende as consequências do aumento do valor dos combustíveis aos seus parceiros e trabalha para ajudar os motoristas e entregadores parceiros a reduzirem seus gastos fixos. A Amobitec reforça que em nenhum momento houve a redução de taxas de remuneração dos parceiros, mesmo em um período de instabilidade econômica do país.
 
Entre as medidas adotadas pelas empresas para auxiliar os parceiros a reduzirem gastos no contexto de aumentos no preço dos combustíveis, estão convênios com redes de postos que oferecem desconto no abastecimento dos veículos, além de parcerias com empresas para oferecer preços especiais em peças, acessórios e manutenção. 

Segundo estudo publicado recentemente pelo Ipea (2021), com base em dados do IBGE, por conta da redução de demanda nos meses iniciais da pandemia, houve um recuo no número de trabalhadores autônomos no setor de transporte de passageiros em 2020, mas o número logo se estabilizou nos dois primeiros trimestres de 2021 em 1,1 milhão de pessoas, valor 37% superior ao do início da série, em 2016.

 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »