20/11/2021 às 11h00min - Atualizada em 20/11/2021 às 11h00min

Projeto da UFU pretende utilizar lixo urbano para fornecer energia ao transporte público em Uberlândia

A proposta reduz os danos ao meio ambiente provocados por gases expelidos por veículos no trânsito, além de oferecer uma correta e rentável destinação ao lixo gerado pelas pessoas

DA REDAÇÃO
Os pesquisadores pretendem utilizar energia reaproveitada de lixo urbano / Foto: UFU/ DIVULGAÇÃO
Pesquisadores da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) estão desenvolvendo um projeto com o objetivo de mover o transporte público através de energia elétrica gerada por lixo urbano. A proposta reduz os danos ao meio ambiente provocados por gases expelidos por veículos no trânsito, além de oferecer uma correta e rentável destinação ao lixo gerado pelas pessoas. A pesquisa conta com o apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e a participação de duas empresas do setor elétrico.

Marcelo Braga dos Santos é professor da Faculdade de Engenharia Mecânica (Femec/UFU) e coordenador do projeto, e disse que não é possivel falar em uma frota totalmente eletríca porque pode faltar energia para outros locais.“No Brasil, não adianta falar em uma frota de veículos totalmente elétrica porque vai faltar energia para o consumidor realizar as tarefas básicas ou para a indústria funcionar de forma adequada”, afirmou.
 

Um estudo realizado pelo professor da Femec/UFU, Solidônio Rodrigues de Carvalho, é o primeiro passo da pesquisa. O estudo utiliza um processo de gaseificação do lixo urbano que gera dois produtos: lixo esterilizado, que é areia e óxidos inertes que podem ser dispersos no meio ambiente, e um gás de síntese chamado syngas, um combustível que apresenta baixo poder calorífico, ou seja, pouca quantidade de energia liberada por unidade de massa.

A equipe de pesquisadores vai atuar na otimização do reator de gaseificação, focando em aumentar o poder calorífico do syngas. “O potencial de energia elétrica a partir do lixo é enorme e ainda há o benefício sanitário e ecológico. A produção do syngas traz um destino nobre ao lixo e torna a atividade mais rentável”, explicou. De acordo com Marcelo, 90% das cidades brasileiras têm coleta de lixo, mas só 59% usam aterros adequados.

A segunda etapa consiste em oferecer um moto-gerador mais eficiente e potente. Pesquisas realizadas na UFU estimam um incremento de 100% na eficiência da conversão da energia termoquímica do gás em energia elétrica. O moto-gerador será utilizado tanto para geração de energia elétrica em terra como embarcado no veículo como um equipamento reserva de energia para o motorista concluir seu trajeto.

Na terceira parte, os pesquisadores vão atuar na concepção de um veículo de transporte público que consuma o menor nível de energia para trafegar nas cidades ao mesmo tempo que transporta passageiros com maior conforto e segurança.

Além de Santos e Carvalho, os professores envolvidos no projeto são: Valério Borges, Washington da Silva e José Antônio Borges da Femec, Alam Gustavo Trovó, do Instituto de Química (IQ), e Daniel de Carvalho, da Faculdade de Engenharia Elétrica (Feelt).

 

 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »