02/11/2021 às 13h00min - Atualizada em 02/11/2021 às 13h00min

Ciclistas flagram despejo irregular de esgoto em cachoeiras na zona rural de Uberlândia

De acordo com o grupo, durante uma trilha, eles encontraram pelo menos sete cachoeiras tomadas por esgoto, espuma branca e mau cheiro; ambientalista falou sobre os impactos causados na natureza

MARIELLE MOURA
Poluição foi flagrada no último sábado (30) por um grupo de ciclistas | Foto: GRUPO PRESEPEIROS DO CERRADO E AMIGOS DA CACHOEIRA

Um grupo de ciclistas de Uberlândia flagrou o despejo irregular de esgoto em pelo menos sete cachoeiras na zona rural de Uberlândia. De acordo com os ciclistas, os locais estão tomados por resíduos de esgoto e mau cheiro. O Diário de Uberlândia conversou com um ambientalista para mensurar os impactos ambientais que podem ser causados na natureza.

 

João Otávio Costa Reis é um dos ciclistas que encontraram a poluição e informou ao Diário de Uberlândia sobre a situação. Segundo ele, a descoberta foi feita por acaso durante uma trilha feita pelo grupo no último sábado (30), sentido a cidade de Araguari.

 

“Fomos fazer um passeio e quando chegamos na cachoeira vimos o esgoto, então fomos seguindo a margem do córrego e encontramos sete cachoeiras no local poluídas, inclusive com uma estação de esgoto desativada que estava vazando esgoto para dentro das cachoeiras,” disse.

 

As imagens enviadas para o Diário mostram uma grande quantidade de esgoto sendo despejado direto na água das cachoeiras. 

 

João contou ainda que o grupo tem o costume de explorar cachoeiras da região, mas que as sete que encontraram no último fim de semana estavam em piores situações. “Nós temos costume de andar nas cachoeiras, mas de todas que conhecemos, essas estão na pior situação. Muito esgoto, mau cheiro e espuma branca na água,” completou.

 

Alan Gomes também é ciclista e faz parte do grupo que encontrou a poluição nas cachoeiras e disse que foi uma surpresa ver a quantidade de esgoto que está sendo despejada no local.

 

“Lá são dois córregos. Quando saímos do primeiro e entramos no segundo estava visível a quantidade de esgoto, espuma branca e mau cheiro no local”, informou. 

 

Alan disse também que foi uma surpresa para o grupo de ciclistas encontrar tamanha poluição em um local que, segundo ele, é tão bonito que tem potencial para ser ponto turístico da cidade.

 

"O passeio que tinha potencial para ser um passeio bacana acabou que ficou um passeio pesado. Não esperávamos encontrar aquilo, foi uma surpresa. O que é uma pena, pois é um lugar muito bonito e eu vejo até potencial turístico lá, tendo a devida estrutura ,” afirmou.

 

O ambientalista e coordenador do programa Rio Livre, André Luiz Barcelos informou que o local onde foi encontrado o despejo irregular é próximo à zona de amortecimento do Parque Estadual do Pau Furado, que é considerada área de preservação ambiental e que, além disso, são córregos que abastecem rios da região, inclusive os Rios Araguari e Paranaíba. 

 

André ainda falou sobre os impactos ambientais causados pela poluição no local. “É um impacto muito agressivo para o turismo, para as comunidades aquáticas que tem no local e para o meio biótico. Além disso, impacta o lazer diretamente,” completou. 

 

O ambientalista ainda disse que o local já foi alvo de denúncias por dois anos consecutivos. “Nós pedimos respostas ao poder público porque não estamos apenas falando de comunidades aquáticas, mas também de pessoas que moram ali perto e têm que conviver com mau cheiro e com água de má qualidade” disse.

 

Por fim, André informou que o lançamento de efluentes em um córrego tão importante na região pode gerar estragos. “Isso atrapalha todo um complexo de bacias hidrográficas. Podemos ver nas fotos uma quantidade grande de resíduos que deveriam ser tratados. É um descaso com a população,” completou. 

 

REPOSTAS

O Diário de Uberlândia entrou em contato com o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) que, por meio de nota, informou que a unidade de tratamento de esgoto citada pertence a uma empresa particular, cuja fiscalização é de responsabilidade da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad).

 

Diante da resposta, a reportagem também procurou a Semad e solicitou um posicionamento sobre a responsabilidade da estação, mas até a publicação desta reportagem não houve retorno do questionamento.


 
Notícias Relacionadas »
Comentários »