14/10/2021 às 08h00min - Atualizada em 14/10/2021 às 08h00min

“Valentina”, filme produzido em Uberlândia, estreia na Netflix

Filme conta história de uma adolescente transexual e as lutas diárias

DA REDAÇÃO
Produção estreia no próximo domingo (17) no aplicativo de streaming | Foto: LEONARDO FELICIANO
Depois de conquistar dezoito prêmios em festivais ao redor do mundo, e após uma passagem pelos cinemas brasileiros, o filme “Valentina”, produzido em Uberlândia, estreia no próximo domingo (17) na Netflix Brasil. O trailer do filme está disponível do canal de Youtube do projeto.
 
O filme conta a história de Valentina (Thiessa Woinbackk), uma adolescente trans que se muda para o interior de Minas Gerais com a mãe, Márcia (Guta Stresser) para um recomeço. Com receio de ser intimidada na nova escola, a garota busca mais privacidade e tenta se matricular com seu nome social. No entanto, mãe e filha enfrentam problemas quando a diretoria da escola, despreparada, começa a exigir a assinatura do pai ausente (Rômulo Braga) para realizar a matrícula.
 
“O filme mostra a luta de uma adolescente trans que quer estudar e se formar.  Espero que sirva para gerar diálogos na sociedade, nas famílias e na comunidade escolar”, disse Cássio Pereira dos Santos, roteirista e diretor do filme. 
 
“Valentina” traz como protagonista Thiessa Woinbackk, influenciadora digital que começa a legitimar seu espaço como atriz. Assim como sua personagem, Thiessa também é uma mulher trans. Ela ganhou 4 prêmios de atuação por seu trabalho no filme, em festivais como Outfest Los Angeles, Mix Brasil, Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e Festival de Cinema de Seattle. Nesta semana, Thiessa está na Suíça representando o filme no “Everybody’s Perfect”, Festival de Cinema Queer de Geneva.
 
“A partir do momento que você não respeita o nome social de uma aluna ou aluno trans na escola, e isso fere a pessoa, e ela sai da escola por causa desta e de outras violências, isso não é evasão escolar, isso é expulsão”, afirmou Thiessa.
 
O longa tem produção de Erika Pereira dos Santos e produção executiva de Hebe Tabachnik, Natália Brandino e Walder Junior. O elenco e a equipe de “Valentina” são compostos, em grande parte, por membros da comunidade LGBTQIA+. “É muito emocionante olhar para trás, relembrar cada desafio da nossa carreira e perceber que conseguimos produzir um filme que pode ser visto em todo Brasil. A arte tem o poder de transformar. Estamos muito felizes e esperamos contribuir para um mundo mais tolerante e sem preconceitos”, disse Erika.


O filme foi produzido de forma independente pela Campo Cerrado Produções, com o apoio da Secretaria do Audiovisual, do edital de Longas de Baixo Orçamento 2016 (SAV/Ancine) e em parceria com o Fundo Setorial do Audiovisual e tem distribuição da Anagrama Filmes. 
 
O projeto conta com trilha original da banda paranaense Tuyo, com destaque para a canção “Eu Nasci Ali”, realizada em coautoria com a cantora e compositora Xan. O filme também conta com músicas de Enme Paixão, Bemti (feat. Johnny Hooker), Jhury Machado, Duda Beat (feat. Mateus Carrilho e Jaloo) e Pedro Mesquita.

VEJA TAMBÉM:
 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »