27/09/2021 às 08h54min - Atualizada em 27/09/2021 às 08h54min

Motos elétricas conquistam consumidores em Uberlândia

Alta no preço dos combustíveis motiva a compra dos veículos, que se tornam alternativa mais econômica

SÍLVIO AZEVEDO
Empresa local investiu em montadora para atender clientes em Uberlândia | Foto: DIVULGAÇÃO
Com a gasolina acima de R$ 6 o litro e o etanol ultrapassando o valor de R$ 4,60, muitas pessoas têm buscado alternativas para diminuir o gasto com transporte em Uberlândia. Uma dessas opções, que têm sido bastante procuradas recentemente, são as scooters elétricas.
 
Pelas ruas da cidade, não é difícil encontrar motoristas em cima desse tipo de motocicleta. A aceitação do público foi que motivou uma loja especializada a expandir os negócios e instalar uma montadora própria de veículos elétricos na cidade, com a geração de aproximadamente 100 empregos diretos e mais 300 indiretos.
 
De acordo com a diretora de marketing da MS Eletric Motors, Lara Esteves, a empresa, que é de Uberlândia, traz toda a inovação para esse mercado, sabendo que lá fora já é realidade e ainda querem ser referência para todo o país.
 
“A aceitação do público foi muito positiva. No mercado, estamos há pouco mais de um ano. Abrimos quando estávamos no início da pandemia. A gente acreditou que seria um desafio, mas muito positiva. A aceitação do público foi muito grande. Vimos que as pessoas começaram a acreditar no produto que correspondia às expectativas”, destacou.
 
Ainda de acordo com diretora, a pandemia fez com que as pessoas tivessem mais tempo em casa, podendo pesquisar mais sobre o produto e viram que é uma realidade que não tem volta. Esse foi um dos motivos que fizeram com que esses veículos tivessem uma aceitação do mercado.
 
“Tivemos uma preocupação em trazer acessibilidade de valores. Não adiantava nada trazer um produto inacessível. As vendas superaram as expectativas. Tanto que o projeto de expansão veio naturalmente por conta dos resultados da empresa. A gente não se limita a Uberlândia e Região. A gente vende para mais de 15 estados”.
 
Quem já utiliza o veículo elétrico é o vendedor Lucas Iaia Nahas, que comprou uma scooter há cerca de um mês. O investimento foi de cerca de R$ 14 mil, mas a curto prazo já traz resultados. “A economia com ela é muito grande. Cada recarga da bateria gasta 1kw, ou de R$1,04 a R$1,5, dependendo do bairro, e anda 45 km. Além de ser um veículo sustentável”.
 
Lucas espera que a economia gerada pela escolha pague o veículo em cerca de dois anos. “Motor não da manutenção, se cuidar corretamente da bateria, não deixando sem carga, consegue andar por muito tempo, em torno de 40 a 42 mil km”.
 
Outra empresa do ramo que vem percebendo um aumento da procura pelos veículos é a Motochefe.  A empresa, sediada no Rio de Janeiro, tem dois anos de mercado e vende bastante para o estado de Minas e Uberlândia. Segundo o representante comercial da empresa, Saulo de Brito da Silva, nesse período já foram comercializadas cerca de 20 scooters elétricas para Minas Gerais.


“Minas é um dos poucos estados que ainda não temos revenda. Uberlândia, em específico, já vendemos umas 3 ou 4, mas pra Minas Gerais, umas 20 scooters. Esse é um mercado que só cresce e tem um potencial enorme”.
 
E o período que mais se vendeu scooters elétricas é entre os meses de dezembro e fevereiro, coincidentemente, durante o verão. “Além disso, as muitas pessoas estão em período de férias e também receberam o 13º”.
 
Ainda de acordo com Saulo, o perfil de pessoas que compram os veículos elétricos é variado. “Não tem um perfil exato. Tem aposentados que comprar para locomoção mais próximo de casa, mas também jovens que utilizam como meio de transporte, pais e mães que levam filhos na escola. Então é um produto que abrange todos os perfis de consumidores”, disse.


VEJA TAMBÉM: 
 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »