22/09/2021 às 11h18min - Atualizada em 22/09/2021 às 11h18min

Mutirão Direito a ter Pai abre inscrições em Uberlândia

Ação, que acontece desde 2011, visa garantir a crianças e adolescente a identificação dos pais em certidão de nascimento de forma gratuita

LORENA BARBOSA
Atendimento é destinado a população em situação de vulnerabilidade | Foto: DIVULGAÇÃO
Começaram nesta segunda-feira (20) as inscrições para o Mutirão Direito a ter Pai. A ação é realizada pela Defensoria Pública de Uberlândia desde 2011. De forma gratuita, serão ofertados exames de DNA, reconhecimento espontâneo de paternidade, reconhecimento sócio afetivo e ação de investigação de paternidade, entre outros. O atendimento é destinado a população em situação de vulnerabilidade.
 
O defensor público Fernando Orlan explica que a ideia do mutirão surgiu depois de uma percepção dos servidores da Defensoria Pública de Uberlândia de que a maioria dos presos atendidos por eles não possuía o nome do pai na certidão. Além disso, para ele, muitas dessas pessoas entram para o mundo das drogas e do crime devido a falta de convívio com essa figura importante na infância.
 
“O mutirão tem objetivo de resolver essa questão na raiz, dando às crianças a oportunidade do reconhecimento do verdadeiro pai. Fizemos convênio com o município, temos parceria com outras instituições e conseguimos exames gratuitos e serviços de cartório. Tudo sem custo para essa comunidade mais carente de recursos.” explicou Orlan.
 
De acordo com dados da Defensoria Pública de Uberlândia, em 2019, aproximadamente 300 registros de nascimento foram feitos no cartório conveniado com o órgão. Em média 80 dessas crianças não tinham o nome do pai na certidão. O projeto busca diminuir esses números.
 
Serão oferecidos os serviços de reconhecimento espontâneo de paternidade, exames de DNA para aqueles que tiverem dúvida sobre a paternidade, ações de investigação de paternidade daqueles que não comparecerem ou se recusarem a passar pelo exame e reconhecimento sócio afetivo, quando a criança ou adolescente é criado por um companheiro da mãe ou pai que quer reconhecê-lo como filho(a).
 
“Tudo que nós fazemos é por consenso. Nós notificamos o pai para que venha até a defensoria, conversamos com ele sobre os prejuízos que podem ser causados às crianças que não possuem o registro e mostramos a responsabilidade dele por ela”, destacou o defensor público.

 
Desde o ano passado os atendimentos acontecem em vários dias por causa da pandemia da Covid-19. Neste ano, as inscrições começam nesta segunda-feira (20) e vão até o dia 22 de outubro. A expectativa é que mais gente busque por esses serviços ao longo de um mês
 
As inscrições poderão ser feitas através do WhatsApp (31) 9 8359- 0214. Para participar é preciso se inscrever preenchendo os dados da criança, da mãe e ter o telefone e endereço completo do suposto pai.
 
SERVIÇO 
Mutirão Direito a ter Pai
Inscrições: Segunda a sexta, das 8h às 12h, entre os dias 20/9 e 22/10
WhatsApp (31) 9 8359- 0214

VEJA TAMBÉM:
 
 

 
 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »