02/09/2021 às 12h00min - Atualizada em 02/09/2021 às 12h00min

Vereadores derrubam projeto que institui “Dia Marielle Franco” em Uberlândia

Projeto da vereadora Dandara (PT) teve 15 votos contrários e 8 favoráveis

SÍLVIO AZEVEDO
Proposta é de autoria da vereadora Dandara (PT) I Foto: Aline Rezende/CMU
O projeto que institui o “Dia Marielle Franco – Dia de enfrentamento às violências contra as Mulheres Negras” gerou mais uma vez bastante debate no plenário na Câmara Municipal de Uberlândia durante a segunda sessão ordinária de setembro, nesta quinta-feira (2).

A proposta da vereadora Dandara (PT), que já foi amplamente debatida em agosto durante a primeira votação, voltou à pauta para ser votada em segunda votação. O primeiro parlamentar a se manifestar foi Cristiano Caporezzo (Patriota), que se posicionou contra.

“Todos sabemos que a Marielle não representa nada para a cidade de Uberlândia. É uma mulher que defendia o aborto, a ideologia de gênero. Uma mulher que, na prática, defendia o tráfico de drogas e, muito provavelmente, foi morta por ele. Por isso peço aos nossos colegas que votem contra o projeto porque Uberlândia não merece ser ultrajada com um dia Marielle Franco”.

O vereador Leandro Neves (PSD) foi outro que se posicionou contrário à aprovação do projeto. “Já temos leis que protegem as mulheres. De fato, a Marielle Franco não representa o nosso município. Nesse sentido, eu quero declarar meu voto contrariamente. Continuarei lutando contra todo tipo de violência, principalmente mulheres negras, mas esse projeto não podemos aprovar nesse momento”.

Já a autora do projeto defendeu a proposta, reafirmando a importância do projeto que buscava conscientizar na luta contra a violência contra mulheres negras e que Marielle Franco é uma referência para todo o país.

“O Dia Marielle Franco rememora uma mulher negra que, por ter consciência da sua luta, de onde ela ocupava um espaço de poder, teve sua vida ceivada de forma covarde. Pra muitas pessoas a Marielle pode não significar nada. eu acho até absurdo as falas que a Marielle não significa nada para Uberlândia. Ela significa muito para o Brasil. É uma referência, um símbolo para as mulheres negras brasileiras. A vereadora eleita foi assassinada com cinco tiros na cabeça por exercer o mandato parlamentar dela”.

Após o debate, o projeto foi colocado em votação e rejeitado por 15 votos contrários, 8 favoráveis e 3 ausências. “Lamento muito que a desaprovação foi em questão de nomenclatura, não pelo conteúdo, pela relevância que o projeto propõe”, disse a vereadora Cláudia Guerra (PDT), na sua justificativa de voto.


“O tempo e a história cobrarão, um por um, os votos de hoje. Estou com a consciência tranquila. Sei que sou fruto da Marielle, da luta dela. Represento, com muito orgulho, o legado da Marielle Franco na política. Continuarei lutando para que ela, e tantas outras, sejam reconhecidas”, lamentou Dandara.

VEJA TAMBÉM:
 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »