21/06/2021 às 11h25min - Atualizada em 21/06/2021 às 11h25min

Polícia Civil prende suspeito de aplicar golpes com compras de celulares de luxo

Investigado encontrava aparelhos caros em site de compra e venda e simulava pagamentos para levar aparelhos das vítimas

DA REDAÇÃO
Polícia Civil apresentou aparelhos apreendidos com o suspeito I Foto: Polícia Civil/Divulgação
A Polícia Civil (PC) prendeu um suspeito de estelionato, que estaria praticando golpes em série em Uberlândia. Segundo informou o delegado da 8ª Delegacia de Uberlândia, Rafael da Silva Herrera, em entrevista concedida ao Diário na manhã desta segunda-feira (21), a captura ocorreu na última terça-feira (15), no setor central da cidade. O suspeito já havia sido preso pelo mesmo tipo de crime no estado de Santa Catarina.

Ainda de acordo com o delegado, o investigado localizava as vítimas pela internet. Ele identificava anúncios de aparelhos celulares de alto padrão em um site de compra e venda de produtos e, se passando por policial ou por servidor do Poder Judiciário para dar credibilidade à ação, marcava com a vítima e aplicava o golpe, simulando o pagamento.

“Ele fazia contato com pessoas que estavam vendendo celulares com valores de R$ 6 mil a R$ 7 mil e marcava o encontro para adquirir o aparelho. Como havia o valor previamente combinado, quando encontravam, ele já tinha uma TED (Transferência Eletrônica Disponível) simulada, que apresentava à vítima para ela acreditar que ele havia pago pelo celular, que ele levava, concretizando o golpe”, explicou Rafael Herrera.

Também conforme o delegado, o suspeito praticou este crime mais de 10 vezes em Uberlândia e Araguari, em menos de 30 dias, e já tinha sido preso pelo mesmo tipo de crime na cidade de São José (SC), no dia 27 de maio de 2020.

“Ele tinha sido preso em Santa Catarina. Depois, veio para Uberlândia e começou a praticar o mesmo tipo de crime. Então, foi preso em dezembro de 2020, em Uberlândia, quando saiu o mandado de condenação dele (referente ao crime) de Santa Catarina. Ficou preso aqui até começo de maio, quando progrediu para o regime semiaberto. Portanto, enquanto praticou os crimes aqui ele estava em execução de pena”, explicou.

AJUDA
 O delegado Rafael Herrera informou que o suspeito também usava uma mulher, com um filho no colo, para enganar as vitimas. “Algumas vezes ela ia no lugar dele para pegar o telefone junto às vítimas. Para não dar tempo da pessoa que estava vendendo o celular desconfiar da TED simulada, a mulher dizia que estava com pressa pois tinha que levar a criança no médico”, explicou. “Essa mulher já está sendo investigada”, completou.

Ainda de acordo com o delegado, a prisão do suspeito foi possível porque a Polícia Civil já estava investigando-o. “Identificamos um possível local em que ele vendia os aparelhos. Fomos ao local e o encontramos tentando vender os celulares. Ele estava com quatro telefones que eram resultado de golpes”, disse.

Também segundo Rafael Herrera, o suspeito vendia os aparelhos em lojas que comercializavam celulares. “Ele vendia, geralmente, por cerca de R$ 1 mil a menos do que o valor de compra. Assim, tinha lucro de, aproximadamente, R$ 5 mil a R$ 6 mil por celular”, afirmou. Com os mais de 10 golpes aplicados em Uberlândia e Araguari, o suspeito lucrou R$ 50 mil a R$ 60 mil somente nas duas cidades.

O delegado afirmou, ainda, que a PC está fazendo diligências, também, para encontrar as pessoas que compravam os celulares do suspeito. “Elas podem ser indiciadas por crime de receptação”, observou.


VEJA TAMBÉM:
Homem é preso após tentar invadir dois restaurantes na mesma madrugada em Uberlândia
Settran interdita vias em Uberlândia até a próxima sexta-feira (25)



 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »