19/06/2021 às 13h15min - Atualizada em 19/06/2021 às 13h15min

Centro de Valorização à Vida (CVV) abre inscrições para novos voluntários em Uberlândia

Primeira etapa do curso será nos dias 26 e 27 de junho; demanda por atendimentos aumentou 10%

GABRIELE LEÃO
CVV terá curso para novos voluntários em Uberlândia | Divulgação
Com o aumento da demanda por atendimentos, o Centro de Valorização à Vida (CVV), que atua há 59 anos com base no contato humano como forma de apoio emocional, prevenção do suicídio e manutenção da saúde das pessoas, abre inscrições para novos voluntários. O curso de capacitação, gratuito e online, será ministrado em duas etapas, com 32 horas de duração. A primeira fase será nos dias 26 e 27 de junho, das 8h30 às 13h. A segunda parte pode ir até setembro, dependendo dos dias escolhidos.

Além disso, a campanha #TamoJunto reforça o atendimento ininterrupto por 24h diárias, disponibilizando mais voluntários para conversar com quem sente que precisa de ajuda com os sentimentos e emoções, independentemente do contato físico.

David Cava, de 66 anos, é engenheiro químico e há 10 anos é voluntário do CVV, com a esposa. O casal, em uma decisão conjunta, dedica tempo para cuidar da dor do outro. "Essa é uma contribuição ao próximo e nesse trabalho voluntário posso dedicar o meu tempo e meus ouvidos para causas que são importantes. Vejo isso como um chamado para ajudar na dor do outro", comentou o engenheiro.

Para aumentar a capacidade de atendimento, os postos do CVV realizam periodicamente os Cursos Gratuitos de Capacitação e Seleção para novos Voluntários, no qual os candidatos são treinados e selecionados ao longo de cerca de dois meses. Quase todos os postos adaptaram o Curso para o modelo remoto, garantindo segurança a todos participantes, sem deixar de atrair novas pessoas à equipe.

AUMENTO NOS ATENDIMENTOS
Ainda de acordo com David, na pandemia, a procura pelo atendimento aumentou cerca de 10%, em todo o território nacional. "Temos, hoje, cerca de 35 voluntários, que dedicam cerca de 4h por semana, mas não é suficiente, já que temos até fila de espera para os atendimentos. Nos últimos três anos, o número de ligações chegou a três milhões, e em todo Brasil, nos 120 postos, temos mais de quatro mil voluntários, mas ainda não é suficiente", contou.

David ainda completou mostrando a importância do atendimento. "Todos passamos por um momento de dor que é necessário conversar, seja ao perder um animal, um ente querido, o fim de um relacionamento ou uma perda inesperada. Não dá para mensurar a tristeza. Esse é um momento em que a pessoa pode ser acolhida e, através desse desabafo, ela pode encontrar soluções e mais clareza dos momentos vividos", explicou.

A entidade é independente, sem vínculos políticos, religiosos, com a iniciativa privada ou outras instituições. Possui um convênio com o Ministério da Saúde para operação do telefone 188 sem comprometer sua independência de atuação.

Para compor esse time solidário, basta ter mais de 18 anos de idade, tempo disponível para os plantões semanais e estar disposto a acolher pessoas que precisam conversar de maneira sigilosa.

As inscrições podem ser feitas pelo
link do Sympla. E para quem precisa do atendimento, bata ligar para o 188. A ligação é sigilosa e anônima.


VEJA TAMBÉM:
Vacinação chega ao público com idade entre 55 e 57 anos em Uberlândia
Uberlândia registra 275 novos casos de coronavírus nesta sexta


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »