17/06/2021 às 16h00min - Atualizada em 17/06/2021 às 16h00min

Uberlândia tem aumento na procura por cirurgias plásticas durante a pandemia

Segundo o cirurgião plástico Julio Bonetti, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, procura por intervenções cresceu 50% na cidade neste ano

FERNANDO NATÁLIO
Kelle Cristina Borges Mota, de 41 anos, fez um botox no rosto I Foto: Arquivo pessoal
O período de isolamento social motivado pela pandemia do coronavírus foi decisivo para o aumento da procura por cirurgias plásticas verificado nas clínicas de Uberlândia. O maior tempo para recuperação da cirurgia, a mudança de prioridades no investimento financeiro e a busca por maior satisfação pessoal, principalmente no aspecto estético, motivaram o aumento de cerca de 50% na realização deste tipo de intervenção na cidade neste ano, segundo o cirurgião plástico Julio Dante Bonetti, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
 
“A pandemia fez com que as pessoas ficassem mais tempo em casa. Isso permite a ela fazerem o repouso necessário para a realização da cirurgia plástica. Como existem as restrições para viajar, muitas pessoas não gastaram com viagens de lazer e, sem essa possibilidade, resolveram investir em cirurgias plásticas para se sentirem melhor”, apontou o cirurgião.  “Além disso, as pessoas passaram a se olhar mais e a buscar essa satisfação pessoal. Isso também contribuiu para esse aumento”, completou.
 
O cirurgião plástico Francisco Naves também identificou significativo aumento na busca por cirurgias plásticas em 2021, após a segunda onda da covid-19 em Uberlândia. “Houve uma demanda reprimida durante a pandemia. Como parei de fazer cirurgias por dois períodos, durante a primeira e segunda ondas, por quatro meses e quatro meses e meio, respectivamente, quando voltei, muitos pacientes que já queriam fazer as cirurgias me procuraram novamente para realizá-las. Aqui, neste mês, o aumento foi de praticamente 100%”, informou o cirurgião plástico.
 
Ainda de acordo com Francisco Naves, em julho a procura será ainda maior. “Historicamente, é o mês de maior busca por essas cirurgias porque, além de ser um período mais frio, quando há uma tendência da pessoa operada inchar menos e é melhor para usar as malhas e o macaquinho (pós-cirúrgico), tem também as férias escolares, tornando mais fácil o período de recuperação de quem é operado”, apontou o cirurgião, que tem dado preferência, nesse período de pandemia, para as cirurgias plásticas menos invasivas e com menor tempo de internação. “É um cuidado importante para evitar os riscos de contaminação”, disse.


 
PRINCIPAIS CIRURGIAS
De acordo com o cirurgião plástico Francisco Naves, em Uberlândia, a colocação de prótese de silicone nos seios pelas mulheres é a cirurgia mais procurada. “É a que mais faço, seguido da lipoaspiração e da cirurgia da face, para diminuir rugas do rosto. São todas cirurgias de menor risco”, revelou o especialista. 
 
Segundo o cirurgião plástico Julio Dante Bonetti, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, outra cirurgia plástica que ganhou preferência na cidade nesse período de pandemia é a de pálpebra. “A pandemia provocou alterações nas percepções das pessoas. O uso da máscara fez elas valorizarem mais os olhos. Eles assumiram papel muito importante no cotidiano, na imagem das pessoas. Hoje, é o que mais vemos no rosto das pessoas, é a expressão do nosso rosto, por isso, ganharam esse destaque na procura pelas cirurgias plásticas”, analisou Julio Bonetti.
 
INVESTINDO NA ESTÉTICA
A promotora de vendas Kelle Cristina Borges Mota, de 41 anos, foi uma das moradoras de Uberlândia que investiram na estética e deram uma atenção aos olhos. Ela fez um botox nessa área do rosto. Kelle Cristina também aproveitou para fazer preenchimento labial e extensão de cílios fio a fio em maio deste ano. “Com a pandemia, tive mais tempo para me cuidar. Cheguei à casa dos 40, então, a gente quer ficar mais nova”, justificou.
 
A promotora de vendas disse que não vai parar sua busca por mudanças visuais e corporais. “Estou no processo de emagrecimento para fazer abdominoplastia e lipoaspiração nas costas. E já estou animando a colocar silicone nos seios”, afirmou Kelle Cristina, que segue os passos da mãe, Darci Borges, 62 anos, nessa preferência estética. “Minha mãe fez botox na área dos olhos recentemente. E no dia 24 (de junho) fará preenchimento perto da boca. Essa busca por esses procedimentos e cirurgias é (uma prática) de família”, disse.
 
A secretária Lorena Vitória da Silva, 25 anos, também usou o período da pandemia para mudar o visual. Ela fez uma lipoaspiração e colocou prótese nos seios. “Foi uma junção de fatores que pesaram para eu fazer estas cirurgias. Foi em uma data em que eu estava de folga, portanto, tinha tempo para a recuperação; tive condições financeiras para fazê-las, juntando décimo terceiro salário e um consórcio que estava pagando; e a autoestima, pois estava me sentindo acima do peso e com a mama um pouco pequena”, contou Lorena Vitória. “Fiquei muito satisfeita com os resultados”, comentou.
 



VEJA TAMBÉM:

 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »