14/06/2021 às 15h27min - Atualizada em 14/06/2021 às 15h27min

Servidores municipais protestam contra o retorno das aulas em Uberlândia

Professores, auxiliares de serviços gerais, supervisores escolares e o sindicato da categoria participaram do ato nesta segunda (14)

NILSON BRAZ
Manifestantes fizeram ato simbólico em frente ao Centro Administrativo da Prefeitura de Uberlândia I Foto: Divulgação
Aproximadamente 50 servidores das escolas municipais de Uberlândia se reuniram no início da tarde desta segunda-feira (14) para manifestar contra o retorno das aulas presenciais na cidade. O anúncio de retomada das atividades em regime híbrido foi feito na última quarta-feira (9).
 
De acordo com a representante do Sindicato dos Professores Municipais de Uberlândia (SINPMU), Junia Alda Gonçalves, a manifestação, que foi realizada em frente ao Centro Administrativo da Prefeitura de Uberlândia, tem como objetivo alertar a população e a administração pública sobre as consequências da retomada das atividades escolares neste momento.
 
Entre as principais preocupações dos manifestantes, está o possível aumento no número de casos de internação e mortes entre a comunidade escolar que ainda não recebeu a vacina contra a covid-19. A representante do SINPMU afirmou ainda que, apesar de o sindicato não ter recebido os números oficiais quanto ao comparecimento presencial dos alunos nas escolas, a percepção deles é que houve baixa adesão, segundo informações coletadas pelos próprios professores.
 
“Tivemos a informação de que em uma das escolas, que tem 700 alunos, não compareceram nem 40. Em outra com mais de 190 estudantes, compareceram apenas 22. Na EMEI do bairro Planalto, foi repassado para a gente que só 5 alunos compareceram”, afirmou Junia.
 
A representante sindical disse ainda que, após a manifestação, foi protocolada uma nota pública sobre os riscos do retorno às aulas presenciais sem a devida vacinação da comunidade escolar. Ela destacou também que o Sindicato aguarda um posicionamento da Defensoria Pública, com quem tiveram uma reunião na última sexta-feira (11), sobre a possibilidade de oficializar, judicialmente, o questionamento quanto à retomada das aulas.
 
“Quando a própria Secretária de Educação diz, em entrevistas, que a palavra ‘segurança’ é difícil no momento, porque ela reabriu as escolas presencialmente?”, finalizou Junia.
 
O Diário entrou em contato com a Prefeitura de Uberlândia cobrando um posicionamento do Município em relação às reivindicações dos manifestantes e aguarda retorno.


VEJA TAMBÉM:

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »