12/05/2021 às 16h00min - Atualizada em 12/05/2021 às 16h00min

Representante das escolas particulares pede apoio ao Legislativo para volta das aulas presenciais em Uberlândia

Gestor disse que não é possível esperar a vacinação contra a Covid-19 dos professores para retomar as atividades

FERNANDO NATÁLIO
Tomé de Freitas pediu apoio ao Legislativo I Foto: Aline Rezende/CMU
O proprietário de escola particular e representando o Sindicato das Escolas Particulares do Triângulo Mineiro, Tomé de Freitas Caires Junior, participou, nesta quarta-feira (12), da sétima sessão ordinária de maio da Câmara Municipal de Uberlândia, na qual defendeu o reconhecimento da escola como atividade essencial e a volta das aulas presenciais na cidade.

Enquanto fez uso da tribuna no Legislativo municipal, Tomé de Freitas disse que a escola não é um ambiente que gera contaminação. “É um ambiente seguro. É o que melhor aplica os protocolos de segurança. Portanto, é onde as crianças, os adolescentes, os jovens vão estar mais bem cuidados, mais protegidos”, afirmou.

Tomé de Freitas também disse estar apreensivo com as autoridades do Executivo municipal, do Judiciário e de parte do Legislativo porque elas estão “negando a ciência” ao não determinarem a reabertura das escolas.

“Temos visto lideranças negarem os relatórios da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), da Organização Mundial da Saúde (OMS) e os relatórios de inúmeras entidades de classe de pediatria, de psicologia e de psiquiatria. Todas orientando a abertura presencial do trabalho das escolas”, pontuou. “Infelizmente, estou em uma Casa Legislativa que nem levou à votação o Projeto de Lei que torna escola como serviço essencial. Lamentavelmente, verificamos isso acontecer nessa Câmara Municipal”, completou o representante do Sindicato das Escolas Particulares.

Ainda de acordo com Tomé de Freitas, não é possível esperar a vacinação contra a Covid-19 dos professores para retomar as aulas presenciais. “Como seremos capazes de esperar, enquanto que bares, restaurantes, shoppings, clubes, todos estão em funcionamento?”, indagou.

Ainda durante sua fala na tribuna, Tomé de Freitas pediu apoio ao Legislativo para que seja suspensa a liminar do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e voltar as aulas presenciais nas escolas. Desde o dia 12 de fevereiro, as aulas presenciais em Uberlândia estão suspensas por uma decisão liminar por parte do TJMG.


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »