25/04/2021 às 15h00min - Atualizada em 25/04/2021 às 15h00min

Fotógrafos se reinventam para continuar trabalhando durante a pandemia em Uberlândia

Cancelamento de eventos e isolamento social fizeram procura pelo serviço cair; profissionais investem em ensaios online e procuram novos ramos da fotografia

BRUNA MERLIN
A fotógrafa Thaty Carrijo começou a fazer ensaios de forma online por videochamadas I Foto: Arquivo Pessoal
O setor da fotografia foi diretamente impactado pela pandemia do novo coronavírus. Além da baixa procura pelos serviços, o cancelamento de eventos e o isolamento social impediram que muitos profissionais trabalhassem. Entretanto, o cenário abriu portas para novas oportunidades e os fotógrafos se reinventaram durante o período.

Thaty Carrijo trabalha como fotógrafa em Uberlândia há mais de cinco anos e nunca pensou que passaria por uma situação como essa. Ela atua com ensaios femininos e, devido à restrição de encontros presenciais, precisou buscar novas alternativas para continuar ofertando o serviço. Foi aí que surgiu a ideia de realizar ensaios de forma online, através de videochamadas.

“Foi uma forma de continuar trabalhando. Nunca imaginei que faria isso um dia, mas super dá certo, principalmente para esse momento de pandemia”, explicou.

O ensaio digital é feito da seguinte forma: Thaty realiza uma videochamada com clientes, por meio de aplicativos como WhatsApp ou Zoom, e tira prints da tela do próprio celular. A cliente só precisa escolher o cenário desejado, deixar o aparelho na sua frente e fazer as poses desejadas. Por fim, a fotógrafa utiliza aplicativos para editar as fotos e deixá-las em uma qualidade melhor.

O novo serviço superou as expectativas de Thaty. Muitas pessoas a procuraram para participar da experiência que, além de oferecer mais segurança em tempos de pandemia, também acaba saindo mais barato. “Foi uma surpresa. Mas, por ser algo diferente e novo, as pessoas ficaram curiosas. E a fotografia foi algo muito valorizado durante esse período, já que ela proporciona distração e renova a autoestima”, complementou.

A criadora de conteúdo e moradora de Uberlândia, Giovana Crosara de Bastos, de 17 anos, foi uma das clientes de Thaty que contratou o serviço de fotos online e adorou a experiência. Para ela, a alternativa foi além do que havia imaginado.

“Fiz as fotos no meu quarto e amei o resultado, com certeza, superou minhas expectativas. A Tahty ia me direcionando e deu super certo. As fotos ficaram lindas”, ressaltou.

Foi a primeira vez que Giovana fez fotos à distância, mas pretende contratar o serviço outras vezes pela praticidade e qualidade do resultado. “Como trabalho com criação de conteúdo, sempre preciso tirar fotos e, com certeza, quero fazer mais sessões de forma online”, disse.

MUDANÇA DE ARES
O cancelamento de eventos fez com que a fotógrafa Luciana Santos buscasse novos ramos da fotografia para investir. Ela, que atuou por 19 anos com confraternizações corporativas e shows, decidiu investir em outra área que começou a crescer com a pandemia, as fotos gastronômicas e publicitárias para divulgação na internet.

“Muitas pessoas começaram a vender produtos online. Então, decidi investir nessa área para continuar atuando como fotógrafa. E, graças a Deus, deu certo. Apesar da procura ainda ser pequena, consigo manter minha empresa’, detalhou.

Além das fotos de produtos, Luciana também começou a atuar com fotografias de perfis corporativos como, por exemplo, empresários e advogados que decidiram abrir páginas nas redes sociais para divulgar os serviços.

Por fim, a fotógrafa disse que pretende continuar no ramo mesmo depois que a pandemia acabar. Segundo ela, a área é promissora por causa dos avanços da tecnologia e do interesse cada vez maior dos clientes no meio digital.

“O setor de eventos ainda irá demorar para voltar. Sendo assim, quero continuar investindo nessa nova área, que são as fotos publicitárias”, finalizou.


VEJA TAMBÉM:
Trabalho virtual agiliza processos no Fórum de Uberlândia

 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »