30/03/2021 às 12h08min - Atualizada em 30/03/2021 às 12h08min

Quatro hospitais de Uberlândia enfrentam dificuldades com compra de medicamentos

Dificuldade tem sido, principalmente, para adquirir fármacos usados na intubação de pacientes com Covid, que estão em falta no mercado

FERNANDO NATÁLIO
Complexos têm buscado ajuda do município para suprir demanda I Foto: Bio-Manguinhos/Fiocruz
A pandemia do coronavírus tem dificultado o abastecimento de medicamentos nos hospitais em todo o país. Em Uberlândia, o problema já foi sentido por quatro hospitais particulares.

Os hospitais Santa Genoveva e Madrecor receberam da Prefeitura Municipal, na última sexta-feira (26), fármacos essenciais para intubação de pacientes com Covid-19 que estão em falta no mercado. O hospital Santa Marta também confirmou que está com dificuldade para comprar alguns medicamentos – não revelou quais. E o Hospital do Triângulo informou que os estoques de insumos estão baixos, porém, são suficientes para continuar os tratamentos.

Segundo a assessoria de comunicação do hospital Santa Genoveva, “antecipando-se a um cenário de desabastecimento do mercado nacional com o medicamento Rocuronio usado para facilitar a intubação de pacientes em UTI, o Santa Genoveva Complexo Hospitalar solicitou algumas doses do medicamento à Prefeitura de Uberlândia em formato de empréstimo”.

Por meio de nota, o Santa Genoveva disse que “o hospital, que aguarda a chegada das unidades que providenciou através de importação direta, solicitou o suporte à Prefeitura após a confirmação de que toda a produção futura dos laboratórios no Brasil já está destinada ao atendimento das demandas dos governos Federal, Estaduais e Municipais”.

Segundo a Prefeitura de Uberlândia, 100 doses de Rocurônio foram cedidas o Santa Genoveva na última sexta-feira (26).

Outro hospital que recebeu por empréstimo, na sexta-feira, fármaco da Prefeitura de Uberlândia foi o Madrecor. Por meio de nota, “o hospital confirma o empréstimo de 200 doses do medicamento sedativo Midazolam pela Prefeitura de Uberlândia”.

Ainda de acordo com a nota enviada pelo Madrecor ao Diário, esse repasse foi necessário devido à falta do medicamento no mercado. “O aumento na demanda pelos medicamentos de sedação (kit intubação) em nível Brasil, principalmente para os pacientes portadores da Covid-19, limitou a aquisição das drogas pelos hospitais. O Madrecor Hospital, assim como vários hospitais particulares do Brasil, enfrenta filas de espera com fornecedores para conseguir os medicamentos, realizando, inclusive pagamentos antecipados”, afirmou o hospital na nota.

Já o hospital Santa Marta informou que não está com falta de insumos, mas, segundo Milane Moreira da Silva, do Centro de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), a unidade hospitalar está com dificuldade de comprar alguns medicamentos. Ela não especificou qual.

E o Hospital do Triângulo, de acordo com sua assessoria, confirmou que “os estoques de insumos estão baixos, porém, são suficientes para continuarmos os tratamentos”. A unidade hospitalar não possui serviço de UTI.

O Uberlândia Medical Center (UMC) informou ao Diário que não teve problemas com desabastecimento de medicamentos. O Hospital Santa Clara não informou sobre o abastecimento de medicamentos e insumos.



VEJA TAMBÉM:
Prefeitura abre novo ponto de vacinação no Ginásio UTC e aglomerações são formadas



 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »