28/03/2021 às 09h00min - Atualizada em 28/03/2021 às 09h00min

Moradores de Uberlândia se unem e fazem doações para UAIs

Ações são feitas por iniciativa própria; Prefeitura afirmou que não há e nunca houve falta de produtos básicos na Rede Municipal no combate à Covid-19

FERNANDO NATÁLIO
Movimento arrecadou água potável para os pacientes que estão nas unidades I Foto: Divulgação
Sensibilizados por relatos de dificuldades que pacientes teriam enfrentado nos últimos meses nas Unidades de Atendimento Integrado (UAIs), da rede pública municipal, moradores de Uberlândia têm se unido, por iniciativa própria, para fazerem doações de fralda geriátrica, sonda para drenagem urinária e água potável para as unidades de saúde.

Apesar das unidades terem recebido as doações, a Prefeitura de Uberlândia afirmou que não há e nunca houve falta de produtos básicos na Rede Municipal no combate à Covid-19. O Executivo municipal também divulgou um comunicado no qual alertou a população que estaria havendo uma campanha falsa circulando nas redes sociais em que há o pedido de doação de itens de necessidade básica e valores para compra de insumos que seriam repassados às UAIs da cidade.

Segundo a empresária Francielle Fad, integrante da Comunidade Amor em Movimento Udi, que fez uma campanha para arrecadar fralda geriátrica, sonda para drenagem urinária e água potável para os pacientes que estão nas unidades, o material arrecadado foi levado a todas as UAIs da cidade na última terça-feira (26), inclusive com registro das entregas feitas.

Ainda de acordo com a empresária, que é uma das organizadoras da campanha de arrecadação, ela ficou sabendo da necessidade dos materiais doados por meio de relatos de pessoas que acompanharam a internação de um parente seu.

“Tive um primo que ficou internado na UAI Tibery, que acabou indo a óbito há cerca de três semanas. Quem acompanhou o caso de perto nos falou que estava faltando sonda foley (para drenagem urinária). Por isso, em uma iniciativa nossa, resolvemos fazer a campanha de arrecadação. Em momento algum a Prefeitura nos pediu ou falou que precisava desses materiais, mas recebemos informações que havia a falta deles nas unidades”, explicou a empresária.

Ainda de acordo com a integrante da Comunidade Amor em Movimento Udi, ninguém do grupo jamais imaginou que a campanha geraria polêmica. “Não era nossa intenção criar esse tipo de problema com a Prefeitura. Não queremos isso. Desejávamos, apenas, ajudar por acreditar nos relatos que recebemos sobre falta dos materiais que doamos”, disse.     
 
OUTRA CAMPANHA
A comerciante Eliane Cristina de Almeida também fez uma campanha, por iniciativa própria, para arrecadar água potável para doar para as UAIs de Uberlândia. Ela fez as entregas no fim de fevereiro e começo de março.

Segundo a comerciante, a ideia dela fazer a arrecadação e doação surgiu após ver uma reportagem de TV que mostrou a dificuldade dos profissionais da saúde para atenderem todos os internados nas UAIs locais no período de agravamento da pandemia do coronavírus. Ainda de acordo com Eliane Cristina, a matéria também teve acompanhantes de pacientes relatando que não estavam podendo levar água para eles devido ao isolamento.

“Ninguém da Prefeitura me pediu doação. Eu é que tive a iniciativa porque entendi que, devido à dificuldade para pegar água, os pacientes estavam com sede. Entreguei 10 fardos de água potável na UAI Tibery, 10 fardos na UAI Luizote e 10 fardos na UAI Roosevelt no final de fevereiro. E levei mais 12 fardos de água na UAI Morumbi, 12 fardos na UAI Tibery e 12 fardos na UAI Pampulha no início de março. E ainda tem mais cerca de 30 fardos de água potável para entregar, provavelmente, neste próximo fim de semana”, relatou. “E registrei todas as entregas com fotos”, completou.
 
CONSELHO RECEBE QUEIXAS
De acordo com a conselheira do Conselho Distrital Oeste, Tania Lucia dos Santos, como os bebedouros das UAIs estão interditados devido aos protocolos para evitar contaminação pelo coronavírus, familiares de pacientes que estavam em tratamento nas UAIs reclamaram ao Conselho Distrital Oeste, nos últimos meses, que os internados passaram por dificuldades para ter acesso à água potável.

Ainda de acordo com Tania Lucia, o Conselho também recebeu queixas, nos últimos meses, sobre falta, nas UAIs da cidade, de luvas e medicamentos como Dexametasona (que tem sido utilizado no tratamento da Covid).
 
POSICIONAMENTO DA PREFEITURA
Em um comunicado, a Prefeitura de Uberlândia alertou a população sobre campanha falsa circulando nas redes sociais em que há o pedido de doação de itens de necessidade básica e valores para compra de insumos que seriam repassados às Unidades de Atendimento Integrado (UAIs) da cidade. Ainda de acordo com a Prefeitura, “não há e nunca houve falta de produtos básicos na Rede Municipal de Saúde no combate à Covid-19 e, portanto, o Município recomenda que a população não realize transferências de qualquer montante para contas não conhecidas”.

No comunicado, a Prefeitura esclareceu, ainda, que todas as doações recebidas pela administração municipal no enfrentamento à Covid-19 ocorrem em conformidade com os ritos legais, com assinatura de termo de doação por todos os envolvidos e divulgação transparente dos equipamentos ou insumos hospitalares recebidos. “Empresas e cidadãos interessados em contribuir podem entrar em contato com a Secretaria Municipal de Governo e Comunicação pelos números (34) 3230-2440/2714”, constou o comunicado.



VEJA TAMBÉM:
Uberlândia registra 17 novas mortes nas últimas 24h


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »