05/03/2021 às 18h45min - Atualizada em 05/03/2021 às 18h45min

Recomendação pede retorno imediato do serviço de transporte público em Uberlândia

Promotoria de Defesa do Consumidor alega que greve não foi anunciada previamente aos usuários e autoridades; trabalhadores paralisaram atividades para reivindicar pagamento integral de salários

BRUNA MERLIN
A Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor em Uberlândia protocolou, na tarde desta sexta-feira (5), uma recomendação ao Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Coletivo Urbano (Sindttrurb) pedindo o retorno imediato da circulação dos ônibus do transporte público, que foi paralisada durante manifestação dos trabalhadores nesta sexta. Os funcionários pararam as atividades e manifestaram contra o parcelamento do salário.

Segundo o promotor Fernando Martins, autor da recomendação, a greve desencadeada não cumpriu com aviso prévio que deveria ser destinado às empresas responsáveis, às autoridades e também aos usuários do serviço, fazendo com que as partes fossem pegas de surpresa, impedindo a localização dos cidadãos. O promotor explicou, ainda, que a manifestação é um direito dos servidores, contanto que não haja prejuízos aos consumidores. 

Devido a isso, foi recomendada a retomada imediata do serviço. Além disso, foi solicitado que todas as limitações e barreiras impostas no Terminal Central sejam retiradas do local. 

O Diário de Uberlândia entrou em contato com o Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Coletivo Urbano (Sindttrurb) e o representante, Marcio Dulio de Oliveira, informou que a paralisação não foi um movimento feito pelo Sindicato. “A manifestação foi elaborada e executada pelos próprios trabalhadores, sem nenhuma participação ou orientação do Sindicato”, explicou. 

PROTESTO
Funcionários do transporte público paralisaram as atividades, na tarde desta sexta-feira (5), para protestar contra o parcelamento de salários. Para manifestar, os motoristas estacionaram os ônibus nas pistas e no pátio do Terminal Central. 

Os manifestantes divulgaram à imprensa um documento enviado pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Triângulo Mineiro (Sindett) que informava sobre o parcelamento do salário referente ao mês de fevereiro. O informativo constava que o pagamento seria feito em três datas do mês de março. 

O documento também dizia que a medida se dava em razão da pandemia do novo coronavírus e da queda do número de passageiros no transporte coletivo na cidade. As empresas afirmam que estão tendo dificuldades para cumprir com a folha de pagamento dos trabalhadores. 


 
Notícias Relacionadas »
Comentários »