20/02/2021 às 08h00min - Atualizada em 20/02/2021 às 08h00min

Manoel Honorato faz balanço da temporada do Azulim/Gabarito/Uberlândia

Treinador quer vaga nos playoffs da Superliga e falou sobre a possibilidade de reforços para a próxima temporada

IGOR MARTINS
Uberlândia ocupa a 7ª colocação na Superliga | Foto: Agência I7/Sada Cruzeiro

A primeira temporada do Azulim/Gabarito/Uberlândia na elite do voleibol masculino superou todas as expectativas. Quem afirma isso é o próprio treinador da equipe, Manoel Honorato. A equipe uberlandense não corre riscos de voltar à segunda divisão e ainda briga por uma vaga nos playoffs da competição.

No total, o Uberlândia tem 17 jogos disputados pela Superliga Masculina de Vôlei, com oito vitórias e nove derrotas. Ocupando a sétima colocação no campeonato, o clube se prepara para a reta final da fase classificatória. Os compromissos remanescentes do time de Manoel Honorato são o Sada Cruzeiro, Vedacit Vôlei Guarulhos, Minas Tênis Clube e o Vôlei Itapetininga.

O treinador conversou com o Diário e falou sobre o desempenho do time na Superliga, a gestão de seu elenco e sobre a possibilidade de novos reforços para a próxima temporada. Confira abaixo:
 
Diário: O Uberlândia vem fazendo uma boa Superliga. Com boas chances de garantir vaga nos playoffs, qual é o balanço que se pode fazer da temporada?
Manoel: Ainda temos muita coisa pela frente, mas a gente acredita que, independentemente do que vier pela frente, o nosso saldo é positivo. Nossa equipe tem oito vitórias, um fato que realmente surpreendeu todo mundo. Nós buscamos fazer um modelo universitário com o nosso time, onde eles tinham cinco disciplinas, e isso fez com o que nosso time tivesse mais conciso em relação aos pensamentos de cada jogo. Isso contribuiu bastante.
 
Qual é o segredo desse time? O time superou as expectativas impostas para a temporada?
Acima de tudo, o segredo é acreditar em Deus, independente da religião de cada um. Na última temporada, nós recebemos muitas palavras positivas e de fé dizendo que nós subiríamos para a primeira divisão, e que as dificuldades seriam muitas, mas que a gente não deveria ter medo, pois Deus iria prover em cada situação. É realmente muito difícil lidar com a nova realidade da Superliga. Nós superamos, sim, as expectativas e nós comemoramos isso no ano passado, quando garantimos a permanência na elite do voleibol. Queremos colocar o Azulim/Gabarito/Uberlândia melhor estruturado na próxima temporada. Agora, estamos lutando para alcançar outro objetivo, que é garantir vaga no G8 e avançarmos para os playoffs. Temos uma equipe jovem, que deixou muitas equipes de orçamento maior para trás. Sabemos que ainda temos muita coisa pela frente.
 
Você disse que possui uma equipe jovem, com muitos garotos. É muito diferente trabalhar dessa forma? É diferente de ter um elenco experiente nas mãos?
É muito diferente. Um jogador mais velho já entende mais o treinador. Um atleta mais novo você precisa pensar muitas vezes por ele, pensar no que ele deve ouvir, mostrá-lo como ele deve agir. Você não pode ter uma imposição tão grande, se não gera o indesejável. Nós, através de uma disciplina que é a inteligência emocional, que é a capacidade de gerir as emoções, fomos passo a passo com os atletas e tem funcionado. Na próxima temporada, eu gostaria de ter dois jogadores mais velhos dentro de quadra. Eles entendem mais o técnico, passam mais as informações que o treinador quer passar para os jogadores mais velhos. Nós não tivemos nenhum jogador mais experiente nesta temporada, mas, com a inteligência emocional e a dedicação deles, nós conseguimos os nossos objetivos.
 
Imagino que nas próximas semanas vocês já vão começar o planejamento da próxima temporada. Vocês pensam em buscar reforços?
É verdade, geralmente, em março e abril começam a borbulhar novas contratações e especulações. Eu acredito que quem anda para trás e caranguejo. A gente quer, sim, dar um salto de maior qualidade no nosso elenco e no nosso Centro de Treinamentos. Até hoje, por exemplo, nós estamos esperando os nossos vestiários ficarem prontos para que a gente possa jogar a próxima temporada na Academia do Vôlei. A gente quer algumas contratações e valorizar mais a nossa Comissão Técnica. Vamos em busca de novos patrocinadores para que a gente possa ‘engrossar o caldo’. Se Deus quiser, o empresariado de Uberlândia vai ajudar o Azulim/Gabarito/Uberlândia nessa nova etapa do voleibol uberlandense.
 
Vocês enfrentam o Sada Cruzeiro no fim de semana, o melhor time do Brasil e, possivelmente, das Américas. Como o Uberlândia tem se preparado para o duelo?
Vamos assistir vídeos do Cruzeiro e tentar motivar os nossos atletas. Nós fizemos um bom jogo com eles no Campeonato Mineiro, mas um jogo ruim no primeiro turno da Superliga. Como essa equipe é aguerrida e de boa desenvoltura, que não abaixa a cabeça para os grandes, nós vamos tentar sim fazer um bom jogo. Quando existe uma obediência exagerada como estamos querendo fazer contra os grandes, até porque estamos em busca do G8, então vale tudo. Vale jogar mais solto, e quem sabe numa dessas solturas a gente equilibra o jogo e pega confiança. O que não pode acontecer é a equipe entrar derrotada contra os grandes. Aí não tem lógica participar de uma Superliga se for para entrar com esse pensamento negativo.



VEJA TAMBÉM:

Futel fecha parceria com a Federação Mineira de Karatê


Procura por atividades físicas dentro de casa volta a crescer

 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »