08/02/2021 às 12h46min - Atualizada em 08/02/2021 às 12h46min

Força-tarefa interdita 67 estabelecimentos durante fiscalização em Uberlândia

Número foi divulgado pelo superintendente do Procon nesta segunda-feira (8); coronel da PM fala sobre operações de combate às festas clandestinas

BRUNA MERLIN E IGOR MARTINS

A força-tarefa escalada para atuar nas ruas de Uberlândia durante o fim de semana, com o objetivo de intensificar a fiscalização do comércio, interditou 67 estabelecimentos nos três dias de operação. A informação foi confirmada pelo superintendente do Procon, Egmar Ferraz, em coletiva realizada na manhã desta segunda-feira (8).

“Este fim de semana foi intenso. Todos nós trabalhamos incessantemente desde sexta (5) a fim de prevalecer o decreto municipal. O número de interdições não é para ser comemorado. Nós temos preocupações e precisamos de uma maior consciência coletiva, de que estamos em uma pandemia. Ressalto aqui a necessidade de cada um cumprir com o seu papel”, disse.

Com relação aos estabelecimentos interditados, o superintendente afirmou que foi feito um pedido coletivo da fiscalização para que fosse dada a oportunidade de os empreendedores voltarem a trabalhar imediatamente, uma vez que grande parte das empresas são familiares. “Nós nos sentimos muito sensíveis. Trouxemos ao prefeito essa reivindicação e ele acolheu”, destacou Egmar Ferraz.

Sendo assim, o responsável pelo Procon confirmou na coletiva de imprensa que todas as empresas autuadas durante o fim de semana vão poder atuar imediatamente, isso porque nenhuma delas são reincidentes, ou seja, não tiveram sanções anteriores. ”Caso qualquer um destes estabelecimentos infrinjam as regras novamente, receberão sanções”, garantiu Ferraz.
 
FESTAS CLANDESTINAS
O Coronel Fernando, da Polícia Militar (PM), também detalhou números das operações de combate às festas clandestinas durante o fim de semana. No total, foram 110 militares e 40 viaturas empregadas para realizar intervenções junto aos fiscais do Procon e da Prefeitura de Uberlândia.

“Realizamos várias prisões e apreensões de drogas e veículos. Nós não vamos permitir que estas festas clandestinas e bailes funks sejam terra sem lei, independente de estarmos ou não em uma pandemia. A PM vai continuar atuando à altura. Não podemos permitir que as pessoas sejam irresponsáveis por estes atos, agravando ainda mais a situação do município”, declarou o Coronel.

O policial comentou ainda sobre o papel da organização no momento da pandemia de Covid-19. Segundo ele, a PM está envolvida em diversos locais e atua na linha de frente no combate ao vírus.

“Nós atuamos em recolhimento de aparelhos respiradores danificados, na escolta de distribuição de medicamentos e no recolhimento de cestas básicas para distribuição à população carente. Estamos atuando também nos locais onde estão armazenadas as vacinas, na guarda destes locais, escolta e deslocamento dos imunizantes e na segurança dos locais onde estão sendo aplicadas as doses. O momento exige uma postura firme da PM”, detalhou Fernando.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »