29/01/2021 às 11h00min - Atualizada em 29/01/2021 às 11h39min

Pais e profissionais da educação fazem carreata contra retorno das aulas presenciais

Protesto contou com mais de 360 veículos; manifestantes pedem por vacinação contra a Covid-19 antes da volta das atividades

BRUNA MERLIN
Manifestantes percorreram diversas avenidas da cidade e estacionaram no Centro Administrativo | Foto: Divulgação
Profissionais da educação e pais de alunos realizaram, na manhã desta sexta-feira (29), uma carreata com mais de 360 carros para manifestar contra o retorno das aulas presenciais em Uberlândia. Professores e outros servidores solicitam que as atividades voltem somente quando toda a classe estiver imunizada contra a Covid-19.

A carreata começou às 9h, com partida da EMEI Professora Shirley Lourdes de Menezes Vieira, localizada no bairro Santa Mônica. Os manifestantes percorreram a avenida João Naves de Ávila, seguiram pela avenida Segismundo Pereira e depois retornaram para o pátio da Prefeitura de Uberlândia.

Os manifestantes estacionaram os veículos no Centro Administrativo e desceram com faixas e placas que pedem pela vacinação. Conforme divulgado pelo Município no dia 15 de janeiro, os profissionais da educação fazem parte da quarta etapa de vacinação, que também inclui trabalhadores do transporte público e funcionários dos sistemas prisionais.

 

Os profissionais já haviam protocolado um abaixo-assinado reivindicando a vacinação antes do retorno das aulas presenciais. O documento recebeu 2.843 assinaturas eletrônicas de trabalhadores da classe que foram entregues ao Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19 nesta manhã após a carreata. 

Além disso, o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Uberlândia (Sintrasp) emitiu um ofício à Secretaria Municipal de Educação demonstrando preocupação com o retorno das atividades presenciais e solicitou que algumas ações sejam realizadas. Além da vacinação dos servidores, o Sindicato também pediu reforço na higienização das escolas, maior fiscalização e monitoramento dos alunos, aferição diária de temperatura de todos que entrem nas instituições e a obrigatoriedade do uso da máscara de proteção individual.

A retomada das atividades presenciais, tanto nas escolas municipais quanto particulares, está prevista para acontecer no dia 8 de fevereiro. Ao Diário de Uberlândia, o Sindicato dos Professores Municipais de Uberlândia (Sinpmu) informou que, caso não seja feito algo em relação às solicitações, os profissionais pretendem fazer uma paralisação geral a partir da data de retorno das aulas. 

Por meio de nota, a Prefeitura de Uberlândia considerou legítima as manifestações, mas ressaltou que 
a volta às aulas foi deliberada por um conjunto de especialistas em saúde pública integrantes do Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19. Reforçou ainda, que neste momento, o retorno das aulas presenciais será opcional para as famílias, as escolas terão o fluxo reduzido pela metade e todas as unidades estão sendo estruturadas para o retorno seguro de profissionais e estudantes.

"Além disso, já está sendo preparada a testagem de cerca de 10 mil servidores da Educação. Quanto à imunização, o município relembra que recebeu apenas 6,9 mil doses nesta primeira etapa e está seguindo rigorosamente a ordem de prioridade definida pelo Ministério da Saúde", destacou a nota.


VEJA TAMBÉM:
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »