24/01/2021 às 08h41min - Atualizada em 24/01/2021 às 08h41min

Uberlândia Clube elege nova diretoria

Atual presidente foi reeleito; local está em processo de recuperação de dívidas

FERNANDO NATÁLIO
Clube enfrenta dificuldades financeiras e problemas estruturais I Foto: Arquivo Diário
O Uberlândia Clube elegeu nesta última semana a nova direção para o biênio 2021/2022. O atual presidente, Hélio Antonio Fabri, foi reeleito e o atual presidente do Conselho de Administração, Fernando de Moraes, foi eleito vice-presidente.

A eleição teve chapa única e a posse está marcada para o dia 1º de fevereiro, na sede do clube, seguindo todos os protocolos de segurança da Covid-19. Em tratamento médico, o presidente reeleito Hélio Fabri não compareceu à eleição.

Segundo o vice-presidente eleito, Fernando de Moraes, o Uberlândia Clube está em processo de recuperação de dívidas. Ainda conforme o dirigente, os débitos de Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) existentes estão sendo equacionados. “Fizemos negociações e estamos pagando essas dívidas”, informou.

Em entrevista ao Diário, o vice Fernando de Moraes esclareceu, no entanto, que a maior dívida, o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), ainda continua aberta. “Como o clube é patrimônio histórico, se ele seguir as normas de conservação, tem direito a isenção do IPTU. Como nos anos anteriores não vinha respeitando essas exigências, o Uberlândia Clube não teve a isenção e acumulou dívidas, que ainda não conseguimos resolver”, explicou. Os valores das dívidas do clube não foram informados pelo dirigente.
 
ESTRUTURA
Na parte estrutural, o maior problema nesse momento, segundo o vice-presidente eleito, é a falta de um projeto de controle de incêndio aprovado. “Esperamos a aprovação dos Bombeiros para esse projeto, para que possamos fazer as adequações necessárias, que estão previstas nesse projeto, e, posteriormente, outras reformas estruturais, podendo colocar, assim, mais áreas do clube em funcionamento. Enquanto estiver sem esse alvará, não temos condições de avançar. Hoje, esse é o nosso grande gargalo”, disse Fernando de Moraes.

Ainda segundo o dirigente, quando a reforma geral do prédio puder ser realizada, a prioridade será o salão de festas superior. “É o espaço que precisa de mais atenção. Já o primeiro andar está melhor. Mas, no geral, temos que fazer pintura, reforma do mobiliário, entre outras recuperações”, informou. O vice-presidente não informou o valor previsto para as reformas estruturais, mas disse que, por enquanto, o clube não tem os recursos necessários para essas obras.

No momento, o Uberlândia Clube está com as 21 lojas alugadas. “Demos um bom desconto para os lojistas, durante a pandemia, para que eles pudessem continuar as atividades”, afirmou Moraes.
 
PROBLEMAS
No dia 14 de agosto de 2019, o complexo do Uberlândia Clube foi interditado pela Defesa Civil e Corpo de Bombeiros devido a problemas estruturais no prédio. No mesmo dia, o Diário de Uberlândia mostrou, em reportagem, que o Ministério Público Estadual havia iniciado uma investigação para apurar irregularidades na administração e na transição de diretoria do clube, bem como adotar medidas para preservação do patrimônio histórico do município.



VEJA TAMBÉM: 

 
MP investiga desvio de finalidade e recursos financeiros no Uberlândia Clube
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »