21/01/2021 às 08h00min - Atualizada em 21/01/2021 às 08h00min

Filme produzido em Uberlândia será exibido em Festival na Índia

Longa dirigido por Cássio Pereira terá première na cidade de Goa

DA REDAÇÃO
Filme foi o maior vencedor do Festival Mix Brasil em novembro de 2020 | Foto: Leonardo Feliciano

Produzido em Uberlândia, o filme “Valentina” foi selecionado para ter sua première na Ásia, no 51º Festival Internacional de Cinema da Índia (IFFI), na cidade de Goa. O evento vai até o dia 24 de janeiro e acontecerá de formato híbrido, ou seja, de maneira presencial e virtual.

O filme dirigido por Cássio Pereira dos Santos é um dos sete longas internacionais para a seção “Competição de Diretores Estreantes”, e será exibido nesta quinta-feira (21), em uma sala de cinema de Goa. O festival terá protocolos especiais devido à Covid-19, com a ocupação reduzida das salas e outras restrições por causa da pandemia.

O IFFI, fundado em 1952, é um dos festivais de cinema mais importantes do continente asiático e o maior da Índia. O evento é reconhecido pela Federação Internacional de Associações de Produtores Cinematográficos (FIAPF).

Realizado anualmente em Goa, o festival busca fornecer uma plataforma comum para que os cinemas de todo o mundo possam projetar a excelência da arte cinematográfica, contribuir para a compreensão e apreciação das culturas cinematográficas de diferentes nações no contexto social e cultural, além de promover amizade e cooperação entre os povos do mundo.
 
O FILME
O longa-metragem conta a história de Valentina, uma jovem trans que se muda para o interior de Minas Gerais com a mãe, Márcia (Guta Stresser), para um recomeço. Com receio de ser intimidada na nova escola, a garota busca mais privacidade e tenta se matricular com seu nome social. No entanto, a menina e a mãe começam a enfrentar dilemas quando a escola começa a exigir, de forma injusta, a assinatura do pai ausente (Rômulo Braga) para realizar a matrícula.

“Nós fizemos Valentina porque existe uma evasão escolar muito grande para a população trans. O projeto nasceu para dar visibilidade à questão, para gerar discussão e mudarmos essa realidade. Foi um longo caminho para criar o roteiro e descobrir a linguagem cinematográfica mais apropriada para Valentina. Foram sete anos de trabalho até chegarmos ao resultado final”, comentou Cássio.

Valentina fez sua estreia mundial no “Outfest Los Angeles”, onde Thiessa Woinbackk, atriz principal, também recebeu o prêmio de “Melhor Interpretação”. Além disso, o filme foi exibido no Festival Mix Brasil, onde o longa obteve os prêmios de “Melhor Interpretação”, “Melhor Roteiro”, “Melhor Longa Brasileiro” pelo júri popular e “Melhor Longa Brasileiro” pelo júri técnico.

“É um prêmio muito importante pra ela [Thiessa] e pra tudo o que ela representa. Nós fizemos Valentina tocar os corações do público. Quando um filme de um festival é o mais votado, mostra que ele tem o potencial de tocar as pessoas. A gente quer que o nosso filme chegue aos cinemas depois da pandemia. Os prêmios no Festival Mix Brasil nos incentivam e nos encorajam ainda mais”, disse o diretor.


VEJA TAMBÉM:

Prefeitura divulga 112 projetos selecionados no Pmic


 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »