24/11/2020 às 08h00min - Atualizada em 24/11/2020 às 08h00min

‘Valentina’ fatura quatro prêmios no Mix Brasil

Filme produzido em Uberlândia foi o grande vencedor do festival de cinema

IGOR MARTINS
Longa conta a história de Valentina, uma jovem trans | Foto: Leonardo Feliciano

Produzido em Uberlândia, o filme “Valentina” foi o principal vencedor do Festival Mix Brasil. No último domingo (22), o longa-metragem faturou quatro prêmios no evento de cinema brasileiro, incluindo as premiações de “Melhor Interpretação” para a atriz Thiessa Woinbackk, “Melhor Roteiro”, “Melhor Longa Brasileiro” pelo júri popular e o prêmio de “Melhor Longa Brasileiro” pelo júri técnico.

Valentina fez sua estreia mundial no “Outfest Los Angeles”, onde Thiessa Woinbackk também recebeu o prêmio de “Melhor Interpretação”. Além disso, o filme foi exibido na 44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, onde o longa obteve o prêmio de “Melhor Filme” pela escolha do público e a atriz recebeu uma menção honrosa do júri.

Em conversa com o Diário, o diretor do longa, Cássio Pereira dos Santos, falou sobre a importância das premiações no Festival Mix Brasil, especialmente os prêmios do júri popular e os conquistados de melhor interpretação pela atriz.

“É um prêmio muito importante pra ela e pra tudo o que ela representa. Nós fizemos Valentina tocar os corações do público. Quando um filme de um festival é o mais votado, mostra que ele tem o potencial de tocar as pessoas. A gente quer que o nosso filme chegue aos cinemas depois da pandemia. Os prêmios no Festival Mix Brasil nos incentivam e nos encorajam ainda mais”, disse o diretor.
 
O FILME
O longa-metragem conta a história de Valentina, uma jovem trans que se muda para o interior de Minas Gerais com a mãe, Márcia (Guta Stresser), para um recomeço. Com receio de ser intimidada na nova escola, a garota busca mais privacidade e tenta se matricular com seu nome social. No entanto, a menina e a mãe começam a enfrentar dilemas quando a escola começa a exigir, de forma injusta, a assinatura do pai ausente (Rômulo Braga) para realizar a matrícula.

“Nós fizemos Valentina porque existe uma evasão escolar muito grande para a população trans. O projeto nasceu para dar visibilidade à questão, para gerar discussão e mudarmos essa realidade. Foi um longo caminho para criar o roteiro e descobrir a linguagem cinematográfica mais apropriada para Valentina. Foram sete anos de trabalho até chegarmos ao resultado final”, comentou Cássio.
 
FINANCIAMENTO COLETIVO
Para lançar Valentina em salas de cinemas, a equipe do filme organiza uma campanha de financiamento coletivo na internet. Os recursos arrecadados serão usados para ações de divulgação de Valentina, com o objetivo de levar o filme a mais cidades e espectadores. Para conhecerem a campanha, basta acessar o link: www.catarse.me/valentinafilme.


VEJA TAMBÉM:

Filme produzido em Uberlândia ganha primeiro teaser


Filme produzido em Uberlândia concorre a prêmio na Mostra Internacional de Cinema

 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »