19/01/2021 às 15h50min - Atualizada em 19/01/2021 às 15h50min

Lixão a céu aberto em rua causa transtorno a moradores em Uberlândia

Trecho da rua Augusta Cândida Pinto, no bairro Ipanema II, recebe descarte irregular de lixo constantemente

IGOR MARTINS
Imagens mostram grande quantidade de lixo no local | Foto: Divulgação

Um lixão a céu aberto em um trecho da rua Augusta Cândida Pinto, no bairro Ipanema II, na zona leste de Uberlândia, tem causado transtornos aos moradores da região. Imagens e vídeos recebidos pela produção do Diário de Uberlândia mostram uma grande quantidade de lixo no local, incluindo caixas de papelão, isopor, roupas, galhos e até mesmo animais mortos.

O aposentado David Paula de Freitas mora nas proximidades do local há pouco mais de 10 anos. De acordo com ele, o problema é recorrente e existe desde quando ele se mudou para o bairro. “Não adianta. Nós já falamos com várias pessoas, com vereadores, assessores de vereadores. Eles vêm, tiram fotos, dizem que vão nos ajudar, mas o problema nunca é resolvido”, disse.

Segundo o uberlandense, de 55 anos, o mau cheiro decorrente do lixo acumulado é insuportável, especialmente nos dias de calor. Além disso, ele conta que a presença de animais peçonhentos dentro de sua casa já é algo mais do que comum. Freitas disse que já matou duas cobras na sua garagem e se depara com escorpiões frequentemente.

“Aqui é uma carniça pura. Quando o sol esquenta, ninguém tem sossego. Eu mato escorpião direto, e já matei duas cobras de, aproximadamente, 20 cm. Meus outros vizinhos aqui já pegaram cobras grandes. Eu tenho netos, ainda bem que eles já estão crescidos, mas já teve vez de entrar algum animal perigoso aqui quando eles eram menores”, relatou.

Ainda de acordo com David, a quantidade de pessoas que jogam lixo no trecho, que ainda não é pavimentado, é grande. “Toda hora tem gente ali. De manhã, de tarde, de noite, de madrugada. Tem muita gente com fazenda aqui nas proximidades, que fazem festa, e quando voltam, jogam tudo aqui. Isso vai acumulando água e pode acumular até dengue. A Prefeitura limpa aqui de 15 em 15 dias, mas no outro dia já está cheio de lixo novamente”, afirmou.
 
FLAGRANTE
Samuel Vital Ferreira Júnior, também morador do bairro Ipanema II, criticou a falta de cidadania dos cidadãos que descartam lixo irregularmente na rua Augusta Cândida Pinto. Em julho de 2020, ele gravou um vídeo mostrando o momento exato em que duas pessoas despejavam resíduos no trecho a céu aberto.

No vídeo, é possível ouvir Samuel falando: “não joga lixo aqui não, por favor. Eu moro aqui na região, vocês não moram aqui. Isso aqui não é lixão não. Isso aqui não é lixão. Na casa de vocês não tem rato, barata, bicho. Aqui em casa tem. É justo isso? Tem lugar para jogar lixo em Uberlândia, procura. Tem Ecoponto pra jogar, não é justo isso não, amigo, vocês não moram aqui. Vocês iam gostar de lixo na porta da casa de vocês?”.



O advogado, que tem um filho de 12 anos, citou que também já teve problemas com animais peçonhentos em sua residência. Na última semana, ele matou uma cobra coral venenosa. “É um perigo, a cobra tinha uns 30 cm. Tem muita barata, rato. É um foco de doenças muito grande”, explicou Samuel.

O morador cobrou uma maior fiscalização do Legislativo e a criação de um Projeto de Lei na Câmara Municipal, com relação à quantidade de terrenos baldios no bairro. Segundo ele, além do problema do lixão a céu aberto, há muito mato em terrenos próximos, e os proprietários não se preocupam com a proliferação de doenças na região.

“Seria ideal colocar uma placa, sinalizando que é proibido jogar lixo, que vai ter multa. O Poder Público pode asfaltar o trecho, isso já ajudaria muito. Seria interessante propor ao Código de Posturas para que os proprietários cerquem e limpem os terrenos. Esses proprietários moram em regiões centrais, não estão nem aí. Se tiver multa, é uma quantia baixa. O Legislativo tem que bater de frente com essas pessoas. Esse é o papel da Câmara”, protestou.

Por fim, o jurista pediu maior conscientização à população e cuidado com o meio ambiente. “A minha indignação é maior com a população. Eu já vi gente jogando lixo enquanto o Município realizava a limpeza do local. Cabe ao Legislativo se atentar aos anseios da população. A maioria ignora as regiões periféricas. Eles precisam enfrentar as imobiliárias, proprietários e buscar ações de conscientização”, finalizou o advogado.
 
O QUE DIZ O MUNICÍPIO
O Diário de Uberlândia entrou em contato com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Serviços Urbanos, que informou que enviará um fiscal até o local, no bairro Ipanema II, para averiguar a situação dos terrenos vagos e tomar as previdências necessárias, conforme o Código de Posturas.

A secretaria ressaltou, ainda, que existe próximo ao endereço citado (rua Augusta Cândida Pinto,) um dos 159 pontos críticos de descarte irregular mapeados na cidade, com fiscalização constante e limpeza sendo feita a cada 15 dias. Foi informado também que uma equipe do Centro de Controle de Zoonoses irá ao local para analisar a existência de animais peçonhentos e orientar os moradores da região.
 
ECOPONTOS
A Prefeitura de Uberlândia disponibiliza os “Ecopontos”, locais que funcionam como ponto de entrega voluntária de resíduos produzidos por pequenos geradores e objetivam dar o destino adequado aos resíduos, evitando o descarte irregular. São exemplos de resíduos autorizados: tijolos, blocos, telhas, placas de revestimento, argamassa, concreto, tubos, plásticos, papel/papelão, metais, vidros, madeiras, podas de árvores, recicláveis, sofás, armários, pias e vaso sanitário.

Os locais dos Ecopontos de Uberlândia podem ser conferidos clicando aqui.



VEJA TAMBÉM:

1º lote vacinará 6.901 pessoas em Uberlândia


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »