20/12/2020 às 08h00min - Atualizada em 20/12/2020 às 08h00min

Ocorrências com escorpiões têm redução de quase 50% em Uberlândia

Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) capturou mais de 4 mil animais neste ano

DHIEGO BORGES

O número de ocorrências registradas com escorpiões em Uberlândia teve uma redução de aproximadamente 48% neste ano. Segundo dados repassados pela coordenação do Programa Municipal de Animais Peçonhentos, do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), até 10 dezembro foram realizados 2.216 atendimentos à população, contra 4.314 solicitações registradas em 2019.

Em entrevista ao Diário, a coordenadora do programa, Juliana Junqueira, explicou que as equipes tiveram que restringir visitas a residências. “Antes da pandemia, quando recebíamos um chamado, também fazíamos a visita nas casas vizinhas. Neste ano, tivemos que deixar de fazer essa ação, pois as pessoas ficam receosas quando não somos chamados, mas os atendimentos seguiram normalmente. Em 2020, tivemos um paciente que necessitou de soro, mas felizmente não tivemos nenhum acidente grave”, destacou.

De acordo com os dados levantados pela Prefeitura, em 2020 foram capturados tanto em pontos estratégicos quanto em imóveis, 4.495 escorpiões. Segundo a coordenadora do Programa Municipal de Animais Peçonhentos do CCZ, a maioria das ocorrências são registradas na região central e em bairros mais antigos, como Fundinho, Tibery e Santa Mônica.

Juliana também explica que o aparecimento dos escorpiões é mais comum nesta época do ano. “Neste período de primavera/verão, o animal acelera a sua reprodução e encontra mais disponibilidade de alimento. Além disso, com a maior incidência de chuvas, a rede de esgoto fica mais cheia e eles costumam sair pelos ralos, podem ficar atrás de toalhas, sapatos e roupas no chão”, alertou.

A responsável destaca que as ocorrências mais frequentes são registradas com o escorpião amarelo e que a população deve ficar atenta e fazer ações preventivas, como usar telas protetoras nos ralos e fazer a limpeza dos quintais, retirando entulho e outros materiais como madeira, telhas e lixo. Se o morador encontrar algum animal na residência, a orientação do CCZ é que abra um chamado por telefone, no número (34) 3213-1470. O horário de funcionamento é das 7h às 18h.

Em caso de acidente, a indicação é que o paciente procure atendimento médico imediato no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU), unidade de referência para esses atendimentos, para ser medicado com o soro antiescorpiônico.

A vítima também pode buscar atendimento em uma Unidade de Atendimento Integrado (UAI), onde receberá o atendimento normalmente e poderá ser transferida em caso de gravidade do quadro. “Se a pessoa já sofreu o acidente, não deve colocar nenhuma substância para amenizar a dor. Muitas pessoas acreditam que gelo ajuda, por exemplo, mas na verdade piora o sintoma”, explicou Juliana Junqueira.
 
ACIDENTES EM 2020
Em abril deste ano, o Diário noticiou um acidente registrado com uma moradora do bairro Osvaldo Rezende, que foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros após ser picada por um escorpião-amarelo dentro de casa.

A vítima, de 19 anos, relatou que estava sentada em uma cama quando sentiu uma dor na perna e constatou que havia sido picada pelo animal peçonhento. A equipe dos bombeiros foi acionada e, ao chegar no local, encontrou a jovem com um sinal de vermelhidão na parte posterior da perna esquerda. Ela foi medicada e recebeu alta no mesmo dia.

O Corpo de Bombeiros também registrou pelo menos outros três acidentes com escorpiões em Uberlândia neste ano. Duas ocorrências foram no bairro Brasil e no Centro da cidade, com vítimas de 24 e 35 anos, e uma terceira na zona rural com um homem de 40 anos.

 

VEJA TAMBÉM:

Jovem é socorrida após ser picada por escorpião-amarelo em Uberlândia


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »