18/12/2020 às 09h22min - Atualizada em 18/12/2020 às 10h21min

Homem que matou garota de programa é condenado a 12 anos de prisão

Réu foi a júri popular nesta quinta-feira (17) e confessou o crime; homicídio aconteceu em agosto de 2019 em Uberlândia

DA REDAÇÃO
Adriano Calisto de Oliveira foi condenado a 12 anos de prisão, nesta quinta-feira (17), por ter assassinado uma garota de programa, de aproximadamente 40 anos, em Uberlândia. O crime aconteceu em agosto de 2019 e, na época, ele já havia confessado o homicídio.

O réu foi julgado pelo júri popular que reconheceu a autoria e concordou com a qualificadora do crime por emprego de meio cruel. Os jurados não reconheceram a redução de pena mesmo que ele tenha confessado de forma espontânea o assassinato.

Em razão disso, o juiz da 5ª Vara Criminal da comarca de Uberlândia, Dimas Borges de Paula, proferiu a sentença de 12 anos de reclusão. O acusado iniciará o cumprimento da pena em regime fechado e será mantida a prisão preventiva do réu para garantir a segurança pública.

O Diário de Uberlândia tentou entrar em contato com a advogada de defesa para saber se irá recorrer da sentença, mas as ligações não foram atendidas.

CRIME
O crime aconteceu no mês de agosto de 2019, no bairro Esperança. Na época, o autor informou à Polícia Militar (PM) que teria recebido uma quantia de droga para matar a mulher, que tinha uma dívida com um traficante local.

O agressor atraiu a vítima até um matagal no cruzamento das avenidas Alexandrino Alves Vieira e Elis Regina dizendo que queria fazer um programa por R$ 30. Quando entraram no local, disse ter acertado a mulher com diversas pedradas, a maioria na cabeça, e que só foi embora quando percebeu que ela havia morrido. O autor afirmou ainda que usou cocaína para conseguir executar o crime.

Após ser encontrado pelos militares, o homem confessou o crime e informou onde estava o corpo da vítima.


VEJA TAMBÉM:

 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »