10/12/2020 às 09h25min - Atualizada em 10/12/2020 às 09h25min

Concursados enfrentam problemas para realizar trâmites da posse em Uberlândia

Professores aprovados alegam curto prazo e falta de lista atualizada dos cargos e escolas disponíveis

BRUNA MERLIN
Professores cobram lista atualizada de escolas com cargos disponíveis | Foto: PMU/Divulgação
Professores aprovados no concurso público da Prefeitura de Uberlândia estão enfrentando outros problemas em relação à posse dos cargos que está agendada para acontecer nesta sexta-feira (11). Os educadores de língua portuguesa e ensino religioso alegam que o novo prazo para realizar os trâmites é curto e o Município não disponibilizou a lista das escolas e vagas disponíveis para escolha.
 
A posse dos cargos dos 20 professores aprovados estava prevista para acontecer no dia 18 de novembro. Na época, a Secretaria Municipal de Educação (SME) informou que a suspensão ocorreu pela demora no chamamento dos aprovados no concurso que aconteceu em 2019. Em razão disso, o Município adiou a data para o dia 11 de dezembro com início do exercício em 14 de dezembro.
 
Segundo a professora Amanda Brilhante de Carvalho, de 24 anos, toda essa mudança bagunçou a vida de todos. Antes, os aprovados tinham o prazo de 10 dias para escolher a escola em que queriam trabalhar e entregar toda a documentação necessária, além de realizar o procedimento de remoção da instituição em que estavam atuando na época para em outra unidade. Agora, o prazo é de um dia para realizar todos os trâmites.
 
“É uma falta de organização imensa. Como iremos realizar tudo isso em apenas um dia? Sem falar que o Município não está atuando de forma clara e transparente para nos ajudar”, ressaltou.
 
Outro problema enfrentado pelos professores é que, de acordo com eles, a SME não está disponibilizando a lista atualizada das instituições e vagas disponíveis. Conforme dito pelo professor Ademir de Almeida, de 38 anos, os atuais servidores de cada escola estão deixando os cargos e os aprovados no concurso não conseguem saber quais são os cargos e localidades abertas para atuação.
 
“Estamos recebendo informações no escuro. Precisamos da lista atualizada para saber onde iremos atuar e realizar todo o trâmite necessário ainda mais nesse curto prazo de tempo. Precisamos de um posicionamento oficial do Município”, destacou.
 
Ademir disse ainda que já tentou contatar a Secretaria várias vezes para tentar resolver o problema, mas de nada adiantou. Segundo ele, sempre é dada uma justificativa diferente que não resolve a situação.
 
“Estamos passando raiva para poder ir trabalhar. Essa confusão e falta de assistência da Prefeitura está gerando ansiedade e preocupação. É um descaso muito grande”, finalizou o educador.
 
O Diário de Uberlândia procurou a Prefeitura de Uberlândia e solicitou um posicionamento em relação aos questionamentos apontados pelos concursados, mas não houve retorno.


VEJA TAMBÉM:


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »