19/10/2020 às 13h04min - Atualizada em 19/10/2020 às 13h04min

Programa busca candidatos para apadrinhar crianças e adolescentes em instituições de acolhimento

Apadrinhamento Afetivo visa oferecer auxílio e atenção àqueles que não têm possibilidade de serem adotados em Uberlândia

BRUNA MERLIN
Coordenadora do programa, Lorena Candelori Vidal explica sobre como funciona projeto | Foto: Arquivo Pessoal
A associação Missão Sal da Terra está em busca de candidatos aptos para participar do Programa Apadrinhamento Afetivo em Uberlândia. O projeto tem como objetivo selecionar pessoas físicas ou jurídicas que queiram apadrinhar uma criança ou adolescente que vivem em instituições de acolhimento. 

Segundo a coordenadora do programa, Lorena Candelori Vidal, o apadrinhamento afetivo inclui crianças e adolescentes que não terão a oportunidade de voltar para a família biológica, em razão de diversos fatores, ou que apresentam baixa possibilidade de serem adotadas pois não se encaixam no padrão desejado pelos interessados como, por exemplo, questões relacionadas à idade já que muitos procuram por bebês.

“Hoje, na cidade, nós temos 13 crianças e adolescentes que vivem em lares de acolhimento e se encaixam no perfil do programa. O apadrinhamento afetivo vem para reforçar que elas não estão esquecidas e deixadas de lado até completarem 18 anos. O projeto surge para dar atenção a elas”, destacou. 

Lorena explica que o apadrinhamento afetivo não se trata de uma adoção e sim de um auxílio que se dá aos acolhidos. Esse apoio é dividido em três modalidades: afetiva, de serviço ou provedor. 

A modalidade afetiva é a que oferece um contato mais direto com a criança ou adolescente. O padrinho ou madrinha poderá criar um vínculo familiar e realizar ações que acolham a criança ou adolescente. “Ir visitar a criança na instituição, convidar para passeios, levar para algum tipo de feriado em família, promover algum tipo de auxílio como levar ao dentista ou médico. É um vínculo de padrinho mesmo, aquele que cuida quando os pais não podem”, explicou.

Muitas dessas pessoas acolhidas em lares não têm acesso a diversas atividades ou serviços essenciais para o crescimento educacional e social. A modalidade de serviços se encaixa nessa situação e pode ser oferecida por profissionais que queiram dar uma aula de inglês ou de outra categoria, uma consulta médica e demais serviços.

O padrinho provedor é aquele que tem interesse em garantir subsistência material e não mantém um vínculo com a criança ou adolescente. Ele pode doar quantia em dinheiro para que o acolhido tenha roupas e outros materiais necessários.

“São modalidades que abrangem todas as possibilidades para os interessados em participar do programa, além de claro trazer muitas vantagens a essas crianças e adolescentes que precisam de muito apoio e atenção”, frisou a coordenadora. 

PROGRAMA INDEPENDENTE
O Programa Apadrinhamento Afetivo foi criado a partir de uma parceria firmada entre a Missão Sal da Terra e a Prefeitura de Uberlândia em 2019. O decreto do projeto foi publicado em fevereiro de 2020 e, de lá para cá, passou por algumas mudanças para se tornar um programa independente. 

 
“No início o Apadrinhamento Afetivo estava sendo muito vinculado ao Programa Família Acolhedora que traz objetivos diferentes. Sendo assim, reformulamos a projeto e agora ele está caminhando para se tornar mais efetivo”, complementou a coordenadora, Lorena Candelori Vidal.

Todas os critérios estabelecidos para a seleção de padrinhos e madrinhas ainda estão em processo de revisão. Lorena explica que ainda não existe uma legislação fixa que determina as regras de forma geral e a análise está sendo feita para melhor atender as crianças e adolescentes do município.

“Cada lugar do país é uma regra e estamos no processo de ponderar tudo isso dentro da realidade de Uberlândia para estabelecer os critérios para a participação no programa”, frisou. 

Mesmo que as regras não tenha sido divulgadas e que o processo de seleção não começou, os interessados em se tornar um padrinho ou madrinha de alguma criança ou adolescente já podem se candidatar preenchendo um formulário de informações básicas que será arquivado pela equipe de profissionais envolvidos no programa.

 
“Assim que tudo estiver decidido e pronto, iremos realizar diversas conversas, palestras e entrevistas com esses candidatos para depois iniciar a execução do apadrinhamento”, finalizou. 

O número (34) 8402-0984 está disponível para mais informações sobre o projeto. 

VEJA TAMBÉM:

 


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »