18/10/2020 às 09h41min - Atualizada em 18/10/2020 às 09h41min

Adoção resgata dignidade de crianças e adolescentes em Uberlândia

Instituições filantrópicas têm papel fundamental no processo de adoção; cidade tem 68 crianças e adolescentes em situação de acolhimento

SÍLVIO AZEVEDO
Organização promove capacitação para famílias em processo de adoção | Foto: Pontes de Amor/Divulgação
Segundo dados do Sistema Nacional de Adoção e Acolhimento, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), somente na Vara da Infância e da Juventude da comarca de Uberlândia há 68 crianças e jovens com idades entre 0 e 18 anos acolhidas aguardando a oportunidade de serem adotadas, sendo 30 do sexo masculino e 38 feminino. Enquanto outras oito já estão em processo de adoção.

Mas como funciona um processo de adoção? O primeiro passo é a família que tem interesse em adotar uma criança ou adolescente é passar por um processo de habilitação. “Ela deve procurar a Justiça para se habilitar nesse processo e levar documentos, comprovar renda, passar por uma avaliação de condições sociais e psicológicas, verificar antecedentes. É um processo, tem os requisitos determinados no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e outras legislações correlatas”, explicou a promotora da Infância e Juventude, Aluísia Beraldo Ribeiro.

Após passar pelo processo da habilitação, a família é inserida no cadastro de adotantes, que é nacional e indica o perfil da criança de preferência como idade, sexo e irmãos, que são os mais difíceis de serem adotados.

Nesse processo de adoção, a família passa por curso de capacitação, para ver como será a convivência com a criança, lidar com as questões psicológica. “Muitas vezes a criança não é um bebê. Temos crianças em várias idades, dispostas para adoção, até completar 18 anos. Uma criança com 7, 8 anos de idade já tem um histórico, um perfil”, disse Aluisia.

A rede de proteção à infância e juventude em Uberlândia conta com o apoio de organizações não-governamentais (Ongs), que dão suporte no processo de adoção. “É uma rede bem rica com psicólogos, assistentes sociais que já tem conhecimento de como isso vai se dar depois da adoção. Imagina, se a gente já tem dificuldade com nossos filhos, imagina com os adotivos que, às vezes, maiores já vem com uma carga toda de experiência, que gera conflitos. A criança tem uma série de implicações posteriores”, explicou a promotora.

PONTES DE AMOR
Uma delas é a Pontes de Amor, que oferece palestras e cursos para as famílias que estão adotando uma criança e desenvolve projetos que visam o desenvolvimento integral das crianças e adolescente acolhidos. Desde sua criação, já foram preparadas mais de 2,5 mil pessoas para adoção.

 
“Os trabalhos realizados são como foco em garantir da convivência familiar e comunitária para crianças e adolescentes que vem de situações de abandono, vulnerabilidade social ou por meio da entrega legal, que são gestantes ou mães que desejam entregar seus filhos para adoção.”, disse  Sara Vargas, fundadora da Pontes de Amor e presidente da Associação Nacional de Grupos de Apoio à Adoção (Angaad).

A Pontes de Amor atua com três grandes eixos: conhecimento, convivência familiar e busca ativa por adotantes. “Promovemos treinamentos, formações, grupos de estudos e congressos. O segundo é o da convivência familiar onde oferecemos toda orientação e apoio jurídico, psicológico e social no pré e pós-adoção e em algumas situações de reintegração familiar. Também realizamos a busca ativa quando procuramos por famílias que já foram habilitadas para a adoção e que têm o perfil mais aberto para a adoção de crianças maiores, adolescentes, grupos de irmão e crianças com problemas de saúde”, disse Sara.

CORRIDA VIRTUAL
Para manter as atividades, principalmente em períodos de crise, a Pontes de Amor realizará uma corrida virtual nos dias 24 e 25 de outubro com percursos de 5km ou 10km. “Todo valor arrecadado será investido na Pontes de Amor, em projetos que visam a colocação de crianças e adolescentes em famílias e em projetos que visam o desenvolvimento deles que estão no acolhimento e abrigos”, ressalta Sara Vargas.

As inscrições podem ser realizadas pelo site: https://timeaction.com.br/evento/pontes-de-amor e os valores são de R$ 35,00 com direito a medalha e R$60,00 com direito a medalha e camiseta.  “A expectativa é que pessoas do Brasil todo possam correr levando a bandeira da adoção, e assim, contribuir para que mais crianças e adolescentes possam viver em família”, salienta.



 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »