10/10/2020 às 08h00min - Atualizada em 10/10/2020 às 08h00min

Presidente eleito do UEC quer investir na base

Em conversa com o Diário, Rênio Garcia detalhou projetos para o triênio 2021/23

IGOR MARTINS
“Temos que fazer uma base de verdade para revelar jogadores”, disse Garcia | Foto: Igor Martins/Diário de Uberlândia

A partir de janeiro, o Uberlândia Esporte Clube (UEC) terá uma nova diretoria no comando. Isso porque a chapa “Paixão Centenária”, liderada por Rênio Garcia, foi a escolhida para assumir o clube no triênio 2021/23, que terá como destaque o centenário do time e competições importantes já no próximo ano, como a disputa do Campeonato Mineiro, Série D e possivelmente a Copa do Brasil.

A chapa Paixão Centenária, que faz oposição à gestão de Flávio Gomide, atual presidente do time, foi a única inscrita para concorrer às eleições do clube. De acordo com Rênio Garcia, que comandará o time nos bastidores, um dos desejos da diretoria é levar o Uberlândia às principais competições nacionais pelos próximos três anos.

Nascido em Uberlândia, ele acompanha o time desde pequeno e atuou como conselheiro do clube desde 2000. Segundo Garcia, a paixão e o seu envolvimento com o futebol vêm de muito tempo, principalmente porque seu pai já trabalhou no Verdão, como diretor de base, no final dos anos 70.

Em entrevista ao Diário, o mais novo presidente eleito do UEC falou sobre os projetos para o triênio, dando mais detalhes sobre a próxima temporada e o que ele pretende fazer enquanto estiver à frente do clube.
 
Qual é o principal objetivo da chapa Paixão Centenária?
O objetivo é fazer futebol, fazer o Uberlândia Esporte Clube alçar voos maiores no cenário nacional. Se a gente conseguir equalizar as dívidas e levar o clube ao menos para a Série C, seria fantástico. Também não posso esquecer de fazer base, mas uma base de verdade, não periodicamente como o Verdão sempre fez. Temos que fazer uma base bem feita para que a gente possa revelar jogadores, coisa que há muitos anos o Uberlândia não faz. Não entra nada de dinheiro no caixa do clube porque não revelamos. Entrou do Bruno Henrique recentemente, mas foi um percentual de participação. O principal produto de um clube de futebol é o atleta.
 
Campeonato Mineiro, Série D e possivelmente uma Copa do Brasil em 2021. Como está a sua expectativa para a próxima temporada?
Nós já estamos trabalhando. Até semana que vem nós vamos começar a assinar alguns pré-contratos. Temos uma equipe de quatro pessoas trabalhando no departamento de futebol e algumas pessoas trabalhando na base. Estamos acertando com uma equipe financeira. A expectativa é de que a gente consiga fazer um bom Campeonato Mineiro, para que a partir daí a gente consiga chegar na Série D com um time bem montado e tentar o nosso sonho, que é ir para a Série C.
 
O que você espera quando assumir o clube?
A estrutura do Uberlândia Esporte Clube está comprometida. É só ir lá na Vila Olímpica e olhar. A dívida do Uberlândia é alta, só do Felipe Surian e do Roque Bridi gira em torno de R$ 3 milhões. Vários funcionários e alguns atletas estão entrando na Justiça. Vamos pegar um time endividado em torno de R$ 5 milhões. Mas um clube com o patrimônio que tem, com a torcida e com o amor que a cidade nutre pelo time, aliado à uma boa gestão, vamos conseguir pelo menos equalizar isso e fazer uma gestão bem feita.
 
Você pretende abrir negociações com membros e jogadores que estiveram no Uberlândia nesta temporada, como o Luizinho Lopes, por exemplo?
Quando o Felipe Surian esteve no Uberlândia ele saiu como um Deus, todo mundo queria trazer ele de volta. O Felipe voltou este ano, ficou duas partidas e já estavam o derrubando. Futebol é momento. Posso te afirmar que o Luizinho Lopes não vai trabalhar comigo neste primeiro momento porque ele está empregado. A gente tem outros nomes. Com relação a jogadores, eu não falo agora porque está muito cedo, muito prematuro. Jogador a gente fala quando tiver no mínimo um pré-contrato assinado.
 
O que o torcedor do Verdão pode esperar para os próximos três anos?
A torcida pode esperar muito comprometimento da nossa gestão. Nós vamos trabalhar com muita seriedade e afinco. Vamos nos dedicar muito. Infelizmente, o clube não está saneado como o presidente anda falando. Ele sabe que não está tudo bem, ele sabe que existem dívidas e que temos que pagar muita coisa, mas a gente já sabia disso antes mesmo de candidatar. Não vamos fazer mágica, mas vamos trabalhar muito para tirar o Uberlândia dessa mesmice.


VEJA TAMBÉM:

CBV define calendário da Superliga de Vôlei 2020/21


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »