30/09/2020 às 10h36min - Atualizada em 30/09/2020 às 10h26min

MP cobra plano e solicita suspensão de cobrança por serviços alternativos do Dmae

Promotoria de Defesa do Consumidor registrou problemas de fornecimento em diversos bairros da cidade após rompimento de adutora

DA REDAÇÃO
A Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor recomendou ao Departamento Municipal de Água e Esgoto de Uberlândia (Dmae), nesta quarta-feira (30), que suspenda qualquer cobrança por serviços alternativos de abastecimento de água como caminhões-pipas. A medida ocorre após recorrentes reclamações sobre a falta do recurso hídrico em bairros da cidade após o rompimento de uma adutora. 

O documento assinado pelo promotor de Justiça Fernando Martins também pede ao Município o envio imediato à Câmara do projeto de lei que trata sobre a segurança hídrica no município, que já havia sido solicitado pelo órgão desde o ano passado durante as tratativas do comitê de segurança hídrica. 

Na ocasião, o MPE havia estipulado o prazo de 90 dias para que se realizasse o projeto para demonstrar a transparência da situação hídrica da cidade e com soluções para evitar a escassez de água. No entanto, não houve respostas às recomendações.
 
O órgão ainda pede um relatório em relação ao rompimento de adutora da Estação de Tratamento de Água (ETA) Sucupira, no prazo de 10 dias, para que sejam concluídas as investigações. 

O Dmae convocou uma coletiva de imprensa nesta manhã para esclarecer sobre a situação. 


VEJA TAMBÉM:
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »