24/09/2020 às 16h41min - Atualizada em 24/09/2020 às 16h41min

Prefeitura de Uberlândia assina contrato emergencial para a entrega do Pró-Pão

Fornecimento das cestas básicas será normalizado a partir de segunda-feira (28)

DA REDAÇÃO

A Prefeitura de Uberlândia assinou um contrato emergencial para garantir a entrega das cestas do Pró-Pão. O serviço será prestado pela empresa Irmãos Kehdi pelos próximos meses, até que seja possível concluir outro processo licitatório para o fornecimento dos itens. Desta forma, a entrega das cestas será normalizada na segunda-feira (28), de acordo com o Município.

Para facilitar o acesso ao beneficiário, o Município estenderá, na primeira semana, o horário da entrega que será das 7h às 17h30, no anexo da Secretaria Municipal de Agropecuária, Abastecimento e Distritos (SMAAD), no bairro Planalto. A partir desta sexta-feira (25), o local já emitirá os boletos relativos ao mês de setembro. Como de costume, as cestas também serão distribuídas nos tradicionais pontos dos bairros, conforme o cronograma (veja abaixo).

Ainda segundo a Prefeitura, devido a recente e expressiva alta no preço de alguns alimentos, foi necessário alterar temporariamente a composição da cesta, evitando o acréscimo no valor pago pelos beneficiários. Com as mudanças, a cesta passará a ter 5kg de arroz, 2 litros de óleo e 2,5kg de macarrão. Segue mantida a quantidade dos demais itens, como sal refinado, farinha de mandioca, feijão, fubá, café, açúcar e extrato de tomate.

Para facilitar a logística, a equipe do Pró-Pão iniciará, em outubro, uma atualização cadastral, na qual todos os beneficiários deverão ir até o anexo da SMAAD para informar os dados mais recentes.

CRONOGRAMA DE ENTREGAS:
Segunda (28) - Tocantins e Guarani
Terça (29) – Jaraguá, Planalto e Pequis
Quarta (30) – Luizote de Freitas e Mansour

ASSINATURA CONTRATUAL
No início do mês, o Diário noticiou sobre a não entrega da cesta básica de setembro. Em coletiva realizada pela Secretaria Municipal de Agropecuária e Abastecimento, Walkiria Naves, responsável pela pasta, informou que o processo dependia de uma assinatura contratual e disse que a empresa Cocal Alimentos, que havia ganhado o processo de licitação na época, se recusou a assinar o contrato.

Naves disse que o Município se reuniria com os outros participantes do processo para o fornecimento das cestas básicas. Ela afirmou ainda que caso nenhum deles quisesse realizar a assinatura, uma das alternativas seria entrar com um processo emergencial para que os beneficiários não fossem desassistidos pelo programa de subsídio.

“Nós sabemos da vulnerabilidade dos beneficiários e existe um problema que é o aumento do preço de produtos, principalmente do arroz e do óleo. Estamos tomando todas as medidas cabíveis para que a entrega das cestas seja regularizada e que elas sejam entregues o mais rápido possível. É nosso compromisso com o beneficiário fazer com que esta cesta chegue, disse a secretária.

Na época, a 
reportagem entrou em contato com a Cocal Alimentos. De acordo com Júlio Faria, responsável pela área de vendas institucional, a empresa concluiu o processo de licitação anterior, tendo encerrado o contrato com as entregas das cestas que ainda estavam em aberto.

Segundo ele, a Cocal ganhou a nova licitação, mas alegou que a Prefeitura demorou aproximadamente 45 dias para realizar o trâmite processual e que nesse período houve aumento no preço de itens da cesta básica.

Faria disse ainda que a empresa pediu realinhamento de preços visando atender a demanda, tendo inclusive mostrado o aumento dos alimentos com documentos e reportagens, o que foi negado pelo Município. Com isso, a Cocal Alimentos desistiu da assinatura contratual de fornecimento de cestas básicas para o programa Pró-Pão.



 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »