08/07/2020 às 18h32min - Atualizada em 08/07/2020 às 18h32min

Ação para retirada de ligações irregulares de energia gera confusão no bairro Canaã em Uberlândia

Moradores foram surpreendidos nesta quarta-feira (8); Polícia Militar foi acionada para conter manifestação

DHIEGO BORGES
Moradores fizeram barricada e atearam fogo em objetos para impedir circulação em rua | Foto: Reprodução/WhatsApp

Uma operação da Cemig para retirar ligações clandestinas em uma ocupação conhecida como Irmã Dulce, no bairro Canaã, em Uberlândia, causou confusão na manhã desta quarta-feira (8). Moradores resistiram à ação tentando impedir que funcionários da empresa de energia retirassem cabos elétricos desencapados e expostos por conta das ligações irregulares.

Os moradores chegaram a fazer barricada e atearam fogo em objetos para impedir a circulação em uma rua (veja no vídeo).  A Polícia Militar (PM) precisou ser acionada e a ação foi interrompida pela Cemig devido à confusão.

O mestre de obras Alessandro Honório da Silva testemunhou o princípio do tumulto e disse que os moradores foram surpreendidos. “Eles chegaram sem avisar, com tratores derrubando postes e fios. Depois da manifestação dos moradores, eles foram embora, mas muitas famílias ficaram sem energia aqui”, relatou.

Uma das lideranças do bairro Erivan Magalhães disse à reportagem que os moradores querem uma solução para o problema. “Aqui ninguém quer energia de graça, os moradores querem uma forma de serem cobrados e estão dispostos a pagar. Agora, muitas pessoas estão sem energia e estamos tendo que deslocar moradores doentes, que precisam de oxigênio, por exemplo, e que não podem ficar sem o serviço”, afirmou.

Veja vídeo abaixo de manifestação de moradores da região na manhã desta quarta-feira:

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Jornal Diário de Uberlândia (@diariodeuberlandia) em



Em nota, a Cemig disse que o objetivo da operação é retirar ligações irregulares de energia existentes no local e preservar a segurança dos moradores, uma vez que existiam inúmeros cabos elétricos desencapados e expostos ao tempo.

A companhia esclareceu ainda que o trabalho não foi concluído como previsto por falta de segurança para os eletricistas que trabalhavam na ação e que ele será retomado em data oportuna.

Sobre o questionamento feito pelos moradores a respeito do aviso prévio, a Cemig informou que não há como avisar com antecedência já que se trata de uma ação que visa preservar a vida dos próprios moradores, além de ser ligação irregular.

Alguns moradores informaram ao Diário que pelo menos metade da ocupação está com o serviço de energia interrompido. A Cemig não soube precisar quantas ligações foram desfeitas na operação. A estimativa é que 600 famílias residam na ocupação Irmã Dulce.

VEJA TAMBÉM:

Odelmo Leão anuncia que Hospital Santa Catarina será integrado ao Município

Uberlândia tem mais de 8,6 mil casos confirmados de coronavírus




































 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »