17/04/2020 às 09h28min - Atualizada em 17/04/2020 às 09h28min

Prefeitura suspende cobrança de parcelas dos programas habitacionais em Uberlândia

Decreto foi publicado no Diário Oficial do Município (DOM) nesta quinta-feira (16); medida é válida para programas desenvolvidos pelo Município

DA REDAÇÃO

A Prefeitura de Uberlândia suspendeu as parcelas dos contratos dos programas habitacionais desenvolvidos pelo Município por 90 dias. A medida, anunciada pelo prefeito Odelmo Leão em suas redes sociais, foi publicada no Diário Oficial do Município desta quinta-feira (16).

Segundo o decreto, a decisão considera o estado de calamidade pública na cidade em decorrência da pandemia do novo coronavírus. Ainda de acordo com o documento, o termo final do contrato será prorrogado dentro do prazo estipulado, sem encargos ou ônus ao mutuário.

Em seu perfil em uma rede social, Leão afirmou que "aqueles que conseguiram o sonho de ter a sua casa em programas desenvolvidos pela administração municipal não precisam pagar as próximas três prestações. Essas parcelas serão inseridas no final do contrato, sem ônus ou multas à população”.

PRORROGAÇÕES
No final do mês passado, entidades de classe e vereadores pediram ao prefeito que tributos municipais e prazos em processos administrativos fossem suspensos, em virtude do atual cenário de crise no País. Em um primeiro documento, assinado por representantes de sete associações dos setores comercial, produtivo e de turismo da cidade, foram pontuadas propostas com o intuito de amenizar o período crítico e reduzir o risco de fechamento de empresas e postos de trabalho em Uberlândia.

Um ofício também foi protocolado pelo vereador Thiago Fernandes, solicitando que os pagamentos prorrogados pudessem ser efetuados de forma escalonada pelos contribuintes do Município. O documento assinado pelos vereadores Adriano Zago, Leandro Neves,
 Walquir Amaral, Delfino Rodriguese pelo presidente da Câmara Ronaldo Tannús, pedia a prorrogação de parcelas como o IPTU e outros impostos realizados por pessoas físicas e jurídicas.

Você pode conferir a reportagem na íntegra clicando aqui.

























 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »