18/04/2020 às 11h23min - Atualizada em 18/04/2020 às 11h23min

Entidades sofrem com queda nas doações devido à crise do coronavírus

Redução de arrecadações voluntárias chega a 40%; instituições de Uberlândia buscam alternativas para continuar trabalhos

BRUNA MERLIN
Bazar e eventos do Hospital do Câncer tiveram que ser cancelados | Foto: Divulgação
Em meio à crise causada pela pandemia mundial do coronavírus, muitas entidades assistenciais de Uberlândia estão registrando queda no número de doações que auxiliam diversas pessoas e famílias da cidade e outras regiões. A preocupação com o futuro financeiro é um dos principais motivos que interfere no apoio às instituições.

O Hospital do Câncer de Uberlândia, que atualmente atende aproximadamente 400 pacientes de diversas cidades do país por dia, registrou uma queda de 35% no quantitativo de doações em dinheiro, que é revertido para a compra de utensílios aos internados. Segundo a presidente do Grupo Luta pela Vida, Thaisa Gapski Pereira Galicioli, 60% das arrecadações são feitas por pessoas físicas e jurídicas, que diminuíram o repasse.

Atualmente, devido a recomendação de isolamento social, a ajuda pode ser feita somente através de transferência bancária. Os mensageiros que se deslocavam até a casa dos doadores para o recolhimento foram dispensados por tempo indeterminado. 

“Não é seguro colocarmos esses voluntários para irem até as residências das pessoas que também querem distanciamento neste momento delicado”, ressaltou Thaisa.

A situação não é diferente na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) que atende mais de 350 pessoas com deficiência intelectual, múltipla e autismo, e que recebem treinamento de capacitação para o mercado de trabalho e atendimentos de saúde. Em outubro do ano passado, a organização já havia relatado ao Diário de Uberlândia que a queda nas doações era constante com o passar dos anos. Neste ano, a instituição teve que suspender as atividades assistenciais por duas semanas por causa da proliferação do coronavírus e o número de arrecadações diminuiu mais ainda. 

“Acreditamos que somente nesses dias de paralisação perdemos cerca de 40% das doações feitas por transferência e entregues aos mensageiros. As empresas fecharam e os doadores físicos também estão em casa preocupados com o futuro financeiro. Tivemos que voltar as atividades para tentar reverter esse problema”, detalhou a presidente da Apae, Mirelle Vilela.

Ao contrário do Hospital do Câncer, a Associação também recebe ajuda com a arrecadação de alimentos, além de doações feitas em dinheiro. De acordo com Mirelle, essa ação é a esperança no fim do túnel da entidade e dá chances de continuar auxiliando as famílias carentes do município.

Apae teve redução de 40% no número de doações | Foto: Divulgação

A Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), que também já havia relatado à reportagem uma diminuição nas doações em 2019, está com as atividades presenciais suspensas desde o dia 23 de março. Foram concedidas férias coletivas de 30 dias aos funcionários e os voluntários foram temporariamente dispensados.

Em torno de 1.200 crianças são acolhidas pela entidade, que atende oito patologias, quatro especialidades médicas e diversas terapias de reabilitação. As doações são feitas por esporadicamente e por período mensal por meio de boleto bancário, depósito em conta, débito em conta e outras opções. 

“É impossível negar que tivemos uma nova queda com essa crise que a contaminação do vírus está proporcionando. Ainda não temos um percentual fechado, mas é significativo”, disse a gerente administrativa da AACD, Cinthia Borges. 
A expectativa da entidade é que o atendimento da instituição retorne no dia 24 de abril para que as crianças continuem recebendo apoio.

EVENTOS CANCELADOS

AACD teve dois principais eventos suspensos | Foto: Divulgação


Além de doações voluntárias, as entidades contam com a arrecadação de recursos provenientes da realização de eventos e bazares solidários que tiveram que ser cancelados devido à rápida e alta contaminação da Covid-19. É o caso do Hospital do Câncer, que perdeu 40% das doações recolhidas em jantares, shows e através do bazar situado na unidade de saúde.

“Toda essa porcentagem que vinha por meio desses eventos nós perdemos porque foi tudo cancelado. Nosso bazar, as galinhadas e os aniversários solidários nos davam muito retorno”, explicou Thaisa Galicioli.

A lojinha física da Apae também foi fechada temporariamente. Além disso, a feijoada realizada anualmente pela instituição e marcada para acontecer em junho deste ano foi cancelada. A presidente lamenta a decisão, pois o evento é um dos mais prestigiados pela população.

“Provavelmente o único evento da Associação que acontecerá neste ano é a galinhada que está marcada para outubro”, ressaltou Mirelle Vilela.

Aproximadamente R$ 140 mil que seriam arrecadados com o Arraial Solidário e o Artesanato do Dia da Mães, realizados pela AACD, estavam sendo esperados pela organização social para investir no auxílio aos pacientes. Os eventos que aconteceriam neste primeiro semestre de 2020 tiveram que ser suspensos.

ALTERNATIVAS
Mesmo com tantas aflições, os responsáveis pelas instituições não deixam de pensar em soluções para reverter o problema e continuarem recebendo apoio e ajuda dos cidadãos e empresas da cidade. Campanhas, diminuição do valor de doação e criação de uma força-tarefa para ressaltar a importância do ato aos necessitados são algumas das alternativas adotadas.

O Grupo Luta Pela Vida está intensificando as ligações de telemarketing para chegar até os doadores que preferem não entrar em contato com os mensageiros. Negociações de valores para a doação também estão sendo feitas pelo apoiador da causa e profissional que está trabalhando em esquema de home office.

“Nós entendemos que esse momento está difícil para todo mundo, sendo assim, criamos oportunidades de negociação para que todos saiam ganhando. É importante ressaltar que, neste momento, precisamos estar unidos para continuar ajudando aqueles que precisam da nossa assistência”, disse Thaisa.

No dia 5 de maio, o hospital receberá o Dia de Doar. A campanha visa arrecadar recursos para a compra de álcool em gel, máscaras, fraldas e alimentos para cestas básicas. 

“Nossos pacientes passam por muitos momentos delicados durante o combate ao câncer e não iremos deixar faltar nada para eles. Contamos com a ajuda da população para fazer o possível e oferecer um serviço completo a todos”, finalizou a presidente do grupo. 

As ações para conscientizar a população sobre a importância das doações também foram intensificadas na Apae. Campanhas para arrecadação de alimentos, materiais de limpeza e outros suprimentos também estão sendo realizadas.

“Além disso, também contamos com o apoio do Município que faz repasses para auxiliar os trabalhos da instituição. Esperamos que esse recurso se mantenha para que as atividades continuem”, concluiu Mirelle.

As redes sociais estão sendo aliadas para a AACD, que divulga campanhas com o objetivo de sensibilizar os doadores mensais a continuarem com suas contribuições. Além disso, a entidade está firmando parcerias solidárias com artistas de renome local e nacional para ajudarem na capacitação de doações através de anúncios em lives do Youtube e Instagram.

“É um momento muito difícil e delicado, mas contamos com a solidariedade da comunidade para que consigamos superar esse momento. Lembrando que quando retornamos as atividades iremos precisar de máscaras e álcool em gel para os atendimentos”, ressaltou Cinthia.

COMO DOAR

Hospital do Câncer
O doador pode entrar em contato pelos telefones 0800 34 2062, (34) 2101-1937 e (34) 99652-4613 ou realizar a doação pelo site doehospitaldocancer.org. 

Apae
Os interessados podem entregar as doações na sede da instituição, localizada na rua João de Barro, nº 396, no bairro Cidade Jardim, de segunda a sexta-feira das 8h às 12h. Também é possível entrar em contato com o Tele Apae através do número (34) 3216-7177.

AACD
As doações para a AACD podem ser feitas através de depósito ou pagamento de boleto. Mais informações sobre o processo podem ser obtidas pelo telefone (34) 3228-8008.










 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »