10/02/2020 às 14h46min - Atualizada em 10/02/2020 às 15h22min

Wilson Pinheiro abre mão da mesa diretora e convoca novas eleições

Processo foi marcado para o início de março na Câmara de Uberlândia, mas a maioria dos vereadores quer antecipar

VINÍCIUS LEMOS
Requerimento foi lido durante a sessão ordinária nesta segunda-feira (10) | Foto: CMU/Divulgação
O atual presidente da Câmara Municipal de Uberlândia, Wilson Pinheiro (PP), marcou eleições para a mesa diretora para o dia 2 de março, inclusive com sua renúncia ao cargo original de segundo vice-presidente. Contudo, um requerimento foi apresentado nesta segunda-feira (10) para que as eleições aconteçam ainda nas sessões ordinárias de fevereiro, ou seja, até no dia 17. O documento foi analisado pela Procuradoria da Câmara e aprovado ainda nesta tarde. 

A decisão de Pinheiro veio depois de uma reunião com todos os vereadores. Wilson Pinheiro explicou que vai seguir como presidente da Câmara até o início do próximo mês, quando está programado o processo de eleição. “A vontade é de recomposição da mesa da Câmara. Sou presidente, tenho decisão do STJ e do TJMG e de um juiz de Uberlândia. Mas, colocando o interesse público em primeiro lugar, marquei para 2 de março as eleições para mesa diretora e eu não serei candidato a cargo na mesa”, explicou.

Pelo menos 23 vereadores assinaram o requerimento para que a eleição aconteça já na próxima segunda (17). “Deverá ocorrer a eleição quando os cargos da mesa estiverem vagos. Todos os cargos estão vagos hoje, exceto a segunda vice-presidência. Isso deve acontecer para que possamos fazer a eleição e acabar com essa história na Câmara de Uberlândia. Isso é um desgaste para a própria Câmara e tem trazido um desconforto por sermos cobrados pela população”, explicou Antônio Carrijo (PSDB), a respeito da manutenção de Pinheiro como presidente, depois de ter sido detido em uma operação do Ministério Público Estadual (MPE) e ainda responder processo de cassação do mandato.

 

Wilson Pinheiro não concorda com a antecipação e diz que o prazo é razoável para atender a vontade de todos. “O entendimento do regimento é que só há vaga na mesa em casos de renúncia, morte ou cassação e isso não aconteceu. Eu estou abrindo mão do cargo da mesa a partir do dia 2. Estou tomando uma decisão que atende a vontade dos vereadores”, afirmou.

As conversas de bastidores dão conta de que a espera até março seria uma manobra para ganhar tempo até que outros vereadores que também foram presos em operações do MPE possam voltar à casa, incluindo aqueles que estão afastados da mesa diretora. “Há conversas de que julgamentos no Superior Tribunal de Justiça (STJ) em que seriam restabelecidos mandatos de vereadores que estão afastados”, disse Adriano Zago (MDB).

É aguardado agora o parecer da procuradora-geral da Câmara, Aline Ribeiro, sobre o requerimento pedindo a eleição ainda em fevereiro.
 
CHAPA
A tendência é que haja apenas uma chapa para as futuras eleições visto que a mesa diretora da Câmara de Uberlândia tem seis cargos e atualmente há apenas 10 vereadores titulares na casa. Wilson Pinheiro já disse que não irá compor chapa. A vereadora Dra. Jussara também informou que pelo menos nesse momento não tem interesse, o que deixaria apenas oito vereadores disponíveis.

As articulações para montagem de uma ou mais chapas, no entanto, podem mudar caso vereadores afastados retomem suas cadeiras nas próximas semanas se a eleição for mantida para março, inclusive com a base do Executivo ganhando força. Já se a eleição acontecer no dia 17, é possível que a oposição se fortaleça.

 






 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »