29/01/2020 às 15h19min - Atualizada em 29/01/2020 às 17h02min

​TJ mantém qualificadoras e acusados de tentar matar trabalhador por engano vão a júri

Dupla responde por tentativa de homicídio de funcionário de supermercado em outubro de 2018; crime ocorreu no Centro de Uberlândia

CAROLINE ALEIXO E BRUNA MERLIN
Vítima Rosivan ao lado da mãe durante visita ao filho em Uberlândia | Foto: Arquivo Diário de Uberlândia
O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) negou recurso da defesa de Denis Eduardo dos Santos, 33 anos, e Everaldo Silva Magalhães, 35, mantendo a acusação por tentativa de homicídio qualificado. A dupla vai a júri popular por espancar e balear um trabalhador em outubro de 2018, no Centro de Uberlândia, após confundi-lo com outra pessoa. 

O Ministério Público Estadual (MPE) denunciou os réus pelo crime com as qualificadoras de emprego de meio cruel e ação que impossibilitou a defesa da vítima. Denis ainda responde pelo crime de embriaguez ao volante. Em junho do ano passado, o juiz Dimas Borges de Paula proferiu a sentença de pronúncia acolhendo a denúncia da Promotoria de Justiça e submetendo os dois a júri popular. 

Os advogados tentaram retirar as qualificadoras da tentativa de homicídio, que agravam a pena em caso de condenação dos réus, porém os desembargadores da 7ª Câmara Criminal do TJMG negaram o recurso e mantiveram inalterada a decisão do juiz da comarca de Uberlândia. A decisão de segunda instância foi publicada na última semana.  

Os magistrados entenderam que havia elementos suficientes para justificar as classificatórias uma vez que a vítima foi submetida a sofrimento grave e desnecessário ao ser agredida e alvejada com disparos de arma de fogo à queima-roupa, mesmo quando já se encontrava caída ao solo. Além disso, o jovem aguardava para iniciar o turno de trabalho em um supermercado e não esperava pelo ataque.

O Diário procurou a defesa deles que informou que não irá recorrer e vai aguardar o júri, que ainda não foi marcado, para apresentar a defesa dos réus em julgamento. Os dois são réus confessos e permanecem presos preventivamente no presídio Professor Jacy de Assis desde a data do crime.

RELEMBRE
O crime ocorreu na manhã do dia 8 de outubro de 2018 por volta das 6h em frente a um supermercado na esquina da avenida Floriano Peixoto com a rua Santos Dumont. O jovem, que na época tinha 21 anos, era funcionário do estabelecimento e estava esperando para entrar no local e iniciar a jornada de trabalho. 

Câmeras de monitoramento da rua flagraram o momento em que Denis e Everaldo chegaram em uma caminhonete, desceram do veículo e começaram a agredir Rosivan. A vítima recebeu socos, pontapés, coronhadas na cabeça e foi atingida por dois disparos de arma de fogo no ombro e coxa esquerda.

 

Rosivan foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros em estado grave e encaminhado para o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU). O rapaz recebeu alta cerca de 11 horas após ser atendido, segundo a assessoria do hospital.

Os autores fugiram do local da agressão, mas foram acompanhados pelo sistema de videomonitoramento e abordados pela Polícia Militar (PM) na BR-050, próximo a um posto de combustíveis. 

Consta no Boletim de Ocorrência que Denis e Everaldo frequentavam uma casa noturna situada no andar de cima do supermercado e que discutiram com uma pessoa no estabelecimento. A ocorrência também informa que os agressores confundiram Rosivan com o envolvido na briga. A dupla apresentou diversos sintomas de embriaguez durante a prisão.




 

 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »