21/01/2020 às 13h54min - Atualizada em 21/01/2020 às 17h04min

Uberlândia vai contar com seis abrigos e clínica pública para cães e gatos

MPE fez acordo com loteadoras alvos de operação para implantar espaços de atendimento; 4 mil castrações serão realizadas neste ano

CAROLINE ALEIXO E VINÍCIUS LEMOS
Prioridade no acolhimento será para animais atropelados ou perdidos | Foto: Arquivo Diário de Uberlândia
A Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente estima que em Uberlândia tenha cerca de 30 mil animais em situação de abandono. Para minimizar o problema, o órgão conseguiu seis áreas para serem transformadas em abrigos públicos para cães e gatos e que devem começar a funcionar ainda neste semestre. Uma clínica de esterilização também será instalada na cidade.

A iniciativa foi viabilizada por meio de Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) celebrados entre o Ministério Público Estadual (MPE) e alguns loteadores investigados na operação Desbravamento da Terra Prometida, que teve como alvo uma organização criminosa que comercializava loteamentos clandestinos na zona rural de Uberlândia. 

Os espaços estão localizados em chácaras a cerca de 15 km da zona urbana e têm 2 mil metros quadrados com capacidade para abrigar em média 70 animais cada um. Segundo o promotor de Justiça Breno Lintz, a prioridade no acolhimento serão animais atropelados ou perdidos. 

 “Os abrigos são para cães e gatos machucados. Tem uma lei estadual que diz que o animal de rua tem que ser tratado onde ele se encontra e se ele for retirado para esterilização, por exemplo, ele tem que ser retornado por estar acostumado com a comunidade local. Agora, o animal atropelado ou perdido pode ser resgatado. Perdido que eu falo é aquele cão que nunca foi para rua, mas a pessoa o coloca e ele se perde”, explicou Lintz. 

Atendimento público para cães de rua
Além da criação dos abrigos, outras ações voltadas à proteção animal foram discutidas durante uma reunião, na última semana, na Prefeitura de Uberlândia com a presença do promotor, do prefeito Odelmo Leão, da ativista da causa animal Drika Protetora e do deputado federal Fred Costa (Patriota), que disponibilizou R$ 300 mil por meio de emenda parlamentar. 

Parte do dinheiro poderá ser usada para castrações e esterilização dos animais com a criação de uma clínica de atendimento público a cães de rua e que pertencem a pessoas carentes da cidade. A clínica funcionará no espaço onde estavam instaladas as delegacias especializadas no Atendimento ao Adolescente e da Mulher, na rua Duque de Caxias com a avenida Rondon Pacheco.  

Promotor Breno Lintz defende necessidade de mais recursos para castrar animais de rua na cidade | Foto: Caroline Aleixo

Há conversas de que outros locais também poderão ofertar o atendimento de urgência e emergência aos casos que chegarem do MPE de animais vítimas de atropelamento ou que estejam doentes em situação de rua.

O gabinete do parlamentar confirmou à reportagem que o dinheiro já foi disponibilizado e está nos cofres do Município. O Diário também solicitou entrevista na Prefeitura de Uberlândia para esclarecer prazos e mais detalhes sobre os serviços, cuja gestão será de responsabilidade municipal, mas não houve resposta à demanda até o fechamento da reportagem. 


Recursos vão viabilizar 4 mil castrações
Recursos vindos por meio de outra emenda parlamentar, pelo deputado estadual Noraldino Júnior (PSC), também vão possibilizar a realização de um mutirão de castrações gratuitas no município ainda neste ano. De acordo com o MPE, a expectativa é que sejam realizadas 4 mil castrações mediante cadastro prévio.

O evento está previsto para ocorrer em maio provavelmente no parque de exposições Camaru. Ações semelhantes são feitas anualmente na cidade com o apoio da Promotoria de Justiça, contudo, a um número inferior para atender toda a demanda.

 
“Se a gente conseguisse R$ 3 milhões dava para castrar todos os animais de rua da cidade, se a gente fizesse isso em um ou dois anos, a gente consegue conter e acabar. Mas se ficar fazendo 150 por mês é enxugar gelo, não adiantaria”, opinou o promotor de Meio Ambiente. 

O deputado informou que o valor da emenda parlamentar inicial foi de R$ 400 mil, mas novos recursos ainda devem ser disponibilizados. Além disso, outras iniciativas serão promovidas para conscientização da saúde animal na região.

“Um trabalho muito grande de educação humanitária também deve ser feito com as escolas envolvendo as crianças e os professores. Eu estou finalizando aqui com a minha equipe as propostas das ações para já levar para Uberlândia na primeira quinzena de fevereiro. Iremos apresentar da melhor forma para a Prefeitura para que ela possa desenvolver o trabalho com eficácia e com o menor valor possível”, destacou Noraldino. 












 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »