24/12/2019 às 10h42min - Atualizada em 24/12/2019 às 10h42min

Com Black Friday e Natal, comércio puxa geração de vagas em Uberlândia

Dados do Caged apontam para saldo positivo de mais de 600 postos criados no período

VINÍCIUS LEMOS
Impulsionado por Black Friday e vendas de Natal, comércio abriu 651 vagas | Foto: Vinícius Lemos
No Município de Uberlândia, o mês de novembro terminou com saldo positivo na geração de empregos ao abrir 610 vagas de trabalho. O comércio foi o que mais contribuiu para o resultado positivo, já a construção civil teve o pior saldo do mês. Os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTB), ainda apontam um acumulado de quase 5 mil posições abertas no ano.

Durante o último mês, empresas e governos contrataram 8.391 pessoas, enquanto desligaram 7.781 trabalhadores. O saldo positivo foi puxado, principalmente, pela sazonalidade envolvendo a preparação para as vendas de Black Friday e Natal. O comércio abriu 651 empregos, tendo o melhor resultado do ano para o setor.

Segundo o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Uberlândia, Cícero Novaes, o cenário da empregabilidade no setor comercial se deu por uma boa expectativa para vendas. “Tudo começa da preocupação da mudança na economia e a gente espera que tenhamos aceleração do comércio, serviços e até da indústria, que está com boa expectativa. [Com as compras de última hora] uma medição preliminar da CDL aponta que este pode ser um Natal com aumento de vendas em até 5%”, afirmou.

Novaes disse que boa parte dos contratados são temporários, para atender aumento natural da demanda nos estabelecimentos comerciais no fim de ano. Ainda assim, com a reação apresentada pela economia durante o ano, ele não descarta que uma parcela desses temporários poderão ser mantidos no trabalho.

MAIS SAZONALIDADE
Também por motivos sazonais, a construção civil teve o pior resultado em relação à empregabilidade no mês de novembro. De acordo com o Caged, o setor fechou 289 vagas. O saldo negativo estaria ligado a dois fatores: climáticos e econômicos, ambos já esperados e comuns para o fim de ano.

Como explicou o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Triângulo Mineiro e Alto do Paranaíba (Sinduscon-TAP), Efthymios Panayotes Tsatsakis, com as chuvas, a tendência é que haja retração do trabalho do setor. Ao mesmo tempo, há queda de financiamentos ao longo do ano. “Em relação aos financiamentos, de maneira geral, existe um recurso para isso já programado no orçamento do Governo Federal, quando chega próximo do fim do ano, esse recurso ou está terminando ou já terminou e as empresas tiram o pé do acelerador”, disse.

Ele disse que o saldo de empregabilidade no mês foi dentro do esperado e, na verdade, para 2020 a construção civil de maneira geral se apresenta otimista. “O planejamento econômico com previsão de crescimento de 3% na economia brasileira pode ser alavancado pelo nosso setor”, explicou Panayotes.

COMPARATIVO
Apesar do resultado em novembro no número de contratações ter sido o melhor para o comércio e ter sido positivo entre quase todos os setores, as 610 vagas abertas no mercado de trabalho de Uberlândia tiveram um saldo mais baixo que em novembro de 2018. Naquele mês, o saldo foi de 976 postos criados no Município. Em outubro, o saldo geral também foi maior, com 730 vagas criadas em Uberlândia.








 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »