07/08/2019 às 14h00min - Atualizada em 07/08/2019 às 14h00min

Município inicia obras de melhorias em rede pluvial do bairro Shopping Park

Trabalho foi determinado após audiência na Justiça Federal, em julho; objetivo é aprimorar a captação da água das chuvas para evitar inundações no bairro de Uberlândia

VINÍCIUS LEMOS
Obras prometem resolver problemas no entorno da rua Antônio Carlos Martins Ribeiro | Foto: Vinícius Lemos


Foram iniciadas as obras de melhorias na captação de água pluvial no bairro Shopping Park, na zona sul de Uberlândia. O trabalho foi determinado pela Justiça Federal em audiência que aconteceu no final de julho e pretende solucionar problemas apontados por moradores do bairro desde 2012, aproximadamente. Além do Município de Uberlândia, a Caixa Econômica Federal também terá que fazer obras no bairro.

O Diário de Uberlândia esteve no bairro nesta terça-feira (6) e verificou que bocas de lobo estão sendo melhoradas em alguns pontos próximos à rua Antônio Carlos Martins Ribeiro. O objetivo é aprimorar a captação da água das chuvas no intuito de evitar inundações, algo que se tornou comum na via desde que as novas casas do Shopping Park foram entregues. Residências invadidas por água de enxurrada e até mesmo com refluxo da rede de esgoto foram citadas na ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal (MPF) sobre esses e outros problemas, como a falta de muros de arrimo e aterros que precisariam de correção.

A audiência em que foi acordada a solução desses e outros pontos que levavam riscos aos moradores do bairro aconteceu na Justiça Federal no dia 25 de julho. Estavam presentes representantes de quatro construtoras, da Caixa, da Prefeitura, do Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) e do MPF. O termo da audiência mostra que o juiz federal Osmar Vaz de Mello da Fonseca Júnior acertou entre as partes ações como o projeto de captação de água pluviais no entorno da rua Antônio Carlos Martins Ribeiro, o qual já é executado. Esse projeto tem até o dia 30 de novembro para ser finalizado, de acordo com o que foi apresentado em juízo. Outra medida a ser tomada será a instalação de válvulas de refluxo para evitar o problema.

O acordo envolve a Prefeitura, Dmae e construtoras acionadas na ação civil pública. Com o trato, o MPF renuncia o direito de reivindicar o dano moral coletivo a vícios construtivos em relação às construtoras, ao Município de Uberlândia, bem como ao Dmae.

CAIXA
Com relação à construção dos muros de arrimo e de corrigir aterros nos imóveis na rua Antônio Carlos Martins Ribeiro, o magistrado acatou o pedido de antecipação de tutela e determinou que a Caixa execute os serviços. Da mesma forma, a estatal terá que conferir aquecedores solares que apresentaram vazamento sem que houvesse qualquer tipo de intervenção dos moradores.
A Caixa tem 40 dias para se manifestar em relação à decisão.

PERÍCIA
Perícias feitas para verificar uma série de outros problemas apontados nos processos que envolvem as casas do bairro Shopping Park descartaram os casos como vícios de construção. Entre esses pontos estão fiação elétrica, portas, vasos sanitários, tomadas e infiltrações.

Chamou a atenção dos peritos, contudo, a falta de proteção contra drenagem superficial de águas pluviais dos taludes dos imóveis, o que pode causar danos às casas.

MORADORES
São comuns as histórias de prejuízos por inundações nas casas da rua Antônio Carlos Martins Ribeiro, no Shopping Park. A dona de um dos imóveis citados na ação civil pública sobre o bairro, Soneida Caixeta Martins, afirmou ao Diário que, há alguns anos, a casa que construíra nos fundos da residência da família teve uma parede quebrada para que a água que inundou o imóvel fosse escoada para a área nos fundos de seu terreno. “Tivemos prejuízos e ninguém vai ressarcir, pelo jeito”, disse.

Outro morador da via, Mauro Renê contou que o refluxo em sua casa foi resolvido há cerca de 5 anos, quando foi instalada uma válvula, contudo seu terreno é um dos mais prejudicados quando há chuvas intensas. “Cansei de ter a casa inundada. Já perdi um carro aqui por causa da água”, afirmou.

Vizinha às obras que pretendem melhorar a captação das águas da chuva no entorno da rua, Lorena Gonçalves afirmou que espera ser resolvido de vez o problema. “Cheguei de viagem e eles estavam mexendo aqui na rua. Acho bom, porque a água do bairro toda para aqui, é a última rua, né? Espero que consigam resolver, todo mundo aqui está cansado de enxurrada em casa.”
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »