02/08/2019 às 08h40min - Atualizada em 02/08/2019 às 08h40min

Campanha em Uberlândia chama atenção sobre o leite materno

Rede municipal de saúde e HC-UFU terão atividades especiais de orientação e conscientização

VINÍCIUS LEMOS
Médica Daniela Marques fala sobre importância do tema | Foto: Vinícius Lemos
A Secretaria Municipal de Saúde e o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) farão atividades especiais até o dia 7 de agosto em comemoração à Semana Mundial do Aleitamento Materno. As atividades servem de abertura para o Agosto Dourado, período de campanha pela consciência de mães e pais sobre a importância do leite materno na alimentação nos primeiros meses de vida dos bebês. Ao mesmo tempo chama a atenção para os atendimentos feitos a gestantes e mães que amamentam durante todo o ano na rede de saúde no Município.

Nesses primeiros dias a principal atividade é o encontro de famílias no Parque do Sabiá, na manhã deste sábado (3). Além de café da manhã e caminhadas com as famílias, será feita massagem nos bebês e haverá um momento de dançoterapia entre mães e filhos. O evento termina com um “mamaço” para chamar a atenção para o ato de amamentar e desfazer preconceitos em relação à alimentação de bebês em locais públicos.

Na agenda do Agosto Dourado está o Dia Científico, que acontece no próximo dia 8, no bloco 2A do campus Umuarama da UFU. O evento é voltado para profissionais da saúde e terá uma palestra da presidente do Comitê de Aleitamento Materno da Sociedade Mineira de Pediatria, Beatriz Oliveira de Rocha, que abordará o empoderamento das famílias para favorecer a amamentação e a fisiologia da lactação.

Essa é a 21ª edição da Semana do Aleitamento Materno em Uberlândia e tal longevidade ajudou na conscientização da maioria dos pais sobre o oferecimento do leite materno aos filhos. “Temos meios que facilitam (a conscientização), hoje em dia até com grupos de aplicativos de mensagens com gestantes e mães. Tem melhorado cada vez mais essa conscientização. Influencia muito a orientação para que sejam diminuídas as dificuldades das mães no aleitamento”, disse a coordenadora da Rede de Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente, Naira Borges.

Ela explicou que a rede municipal de saúde atende e orienta as mães sobre a amamentação desde a gravidez, com explicações sobre a necessidade do oferecimento do leite materno. No atendimento feito comumente no quinto dia de vida do recém-nascido há uma atenção especial paras as mães devido ao possível incômodo que elas possam sentir, como a mama cheia que possa causar dor, fissura no mamilo, empedramento do leite, entre outras situações. Esse trabalho coincide com o teste do pezinho e pode ser feito em qualquer unidade de saúde de Uberlândia.

Outro atendimento às mães é o Banco de Leite ligado ao HC-UFU, o qual oferece um número para que as mulheres tirem dúvidas a respeito do aleitamento. O atendimento é feito pelo telefone 3218-2666, de segunda-feira a sábado, das 7h30 às 17h30. Há ainda o atendimento pessoal que pode ser feito no Bloco 2N do campus Umuarama da UFU em igual horário. “Caso a pessoa queira um acompanhamento com um médico, o Banco de Leite oferece duas pediatras que podem conversar com as mães por meio de agendamento feito no mesmo número de telefone”, disse a chefe unidade neonatal do HC, Daniela Marques.

O Banco de Leite atende mensalmente a uma média de 700 casos, entre as consultas com pediatras e coletas de leite. A unidade ainda faz a doação de 90 litros de leite por mês para recém-nascidos internados no hospital. Esse leite não é doado para a sociedade devido a demanda da própria unidade de saúde.
 
TEMA
O tema da Semana Mundial do Aleitamento Materno em 2019 é “Empoderar as famílias para favorecer a amamentação agora e no futuro”, o que está ligado diretamente com a importância do leite materno para a saúde do bebê e também para quando ele crescer. Um dos benefícios ao recém-nascido é o aumento da própria proteção contra infecções ao receber a proteção da mãe via leite. Ao mesmo tempo são reduzidas as chances de ter problemas de saúde como hipertensão, diabetes, colesterol alto e até obesidade na idade adulta.

Segundo médicos, a alimentação com leite materno deve ser exclusiva até os seis meses de vida do bebê, sem precisar nem mesmo oferecer água. Após esse período, o desmame, estima-se, acontecerá entre o primeiro e segundo ano de vida da criança. “É o próprio bebê que deve estabelecer quando parar. Entre um e dois anos é natural que o desmame aconteça. Pelo próprio desenvolvimento do bebê, com essa idade [dois anos] ele não tem a mesma paciência para ficar quietinho mamando”, disse Daniela Marques.

A médica ressalta que o aleitamento também é importante para a mãe, contribuindo na recuperação do peso anterior à gravidez, diminui sangramentos devido à produção de um hormônio que contrai o útero e reduz chance de alguns tipos de câncer, como o de mama, ovário e útero.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »