29/07/2019 às 09h00min - Atualizada em 29/07/2019 às 09h00min

Roubos e furtos de celulares caem 21% em Uberlândia

Governo atribui queda à implementação da central de bloqueio de celulares; estado também registra reduções

VINÍCIUS LEMOS
Cbloc foi implementada há 1 ano no Estado, mas chegou em Uberlândia apenas em abril de 2019 | Foto: Sejusp/Divulgação
Há um ano em funcionamento em todo o Estado, a Central de Bloqueio de Celulares (Cbloc) é apontada como a principal razão para a redução na ordem de 28% do número de roubos desse tipo de aparelho em Minas Gerais nos cinco primeiros meses de 2019. Desde que foi implementado oficialmente em Uberlândia, em abril, o sistema mostrou uma queda de 21% nos registros de furtos e roubos de celulares locais, segundo a Polícia Militar (PM). Ainda de acordo com o Estado, 15 mil aparelhos foram inutilizados neste primeiro ano de existência da Cbloc.

Dados fornecidos ao Diário de Uberlândia mostram que em abril deste ano, a PM registrou cerca de 100 furtos e roubos de telefones celulares no Município. Com o funcionamento da central na cidade, essas modalidades de crimes passaram a mostrar queda, chegando a 79 registros em junho, ou seja, 21 a menos em dois meses. A queda é ainda maior se comparado com junho de 2018, quando 129 ocorrências envolvendo celulares tinham sido registradas. A redução é de 38% em um ano.

Em todo o estado, os melhores resultados se mostram contra o crime de roubo de aparelhos. De janeiro a maio de 2018, foram 20.052 contra 14.343 em igual período de 2019. Em relação aos furtos de celulares, a redução foi mais tímida em Minas Gerais como um todo, passando de 23.889 crimes do tipo, de janeiro a maio do ano passado, para 23.555 em igual período deste ano, redução que não passou de 1,4%.

De toda maneira, o objetivo da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MG) é popularizar ainda mais o sistema de bloqueio de celulares. “Estamos em fase de implementação [do sistema] em Uberlândia, por exemplo, e [é importante] dar conhecimento à população, que começou a entender que estamos flexibilizando o bloqueio dos celulares, sem que seja necessário de entrar em contato com a operadora e diminuir a burocracia”, afirmou o tenente da PM Paulo José de Azevedo.

O BLOQUEIO
Sistema protege dados pessoais das vítimas | Foto: Divulgação

Como informado pela Secretaria de Segurança, a Central é um sistema que bloqueia o celular e protege dados pessoais como fotos ou caminhos de GPS salvos. São necessários apenas o número da linha, saber qual é a operadora e ter o boletim de ocorrência em mãos para bloqueio. Não é mais necessário saber o IMEI, identificação internacional do equipamento móvel. No site cbloc.seguranca.mg.gov.br o impedimento é feito com três cliques.

Apenas o aparelho celular é bloqueado por meio da Cbloc. O proprietário não perde o número da linha ou qualquer benefício junto à operadora. O bloqueio da linha, inclusive, por não se tratar de procedimento de segurança pública, deve seguir o trâmite normal hoje utilizado pelo dono do celular que foi roubado ou furtado, com contato junto à operadora.

O Governo ainda informou que a Cbloc também pode ser usada para inibir o roubo de celulares que ainda não foram vendidos para os consumidores, como forma de dar uma resposta, também, ao mercado clandestino que se alimenta desse tipo de ação. Para estes aparelhos, que ainda não estão vinculados a uma operadora em específico, o sistema dá a opção de bloqueio por meio do IMEI, que fica disponível nas notas fiscais das compras e cargas.

Como explicou tenente Azevedo, com isso, o aparelho fica inutilizado para receber outro chip, por exemplo. Dessa forma, o valor de mercado do celular reduz e o objetivo da Sesp é justamente inibir a revenda de aparelhos furtados ou roubados, diminuindo assim os próprios crimes.

DESBLOQUEIO
No caso de recuperação dos aparelhos roubados ou furtados por autoridades policiais, será realizado contato com o proprietário. Ele deverá se dirigir à unidade policial indicada para retirada do celular, mediante preenchimento do Termo de Restituição. A autoridade será a responsável, por meio de sistema próprio, pela realização do pedido de desbloqueio do aparelho via Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

MÁ-FÉ
As falsas comunicações de crimes cresceram em 2019, chegando a 120 delas em dois batalhões da Polícia Militar de Uberlândia até o fim do primeiro semestre. Em igual período de 2018, esse número foi de 83 casos de comunicações falsas de crimes.

Isso pode estar ligado a casos em que pessoas usaram de má-fé o sistema de bloqueio de celulares e são flagradas posteriormente. “As pessoas continuam indo à PM e alegando ter sido vítimas de furto ou roubo, quando na verdade querem recuperar celulares extraviados, por exemplo”, afirmou tenente Azevedo.
 
VIA OPERADORA
Depois de ter o celular furtado, no final de junho, uma vítima, que pediu para não ser identificada, contou à reportagem do Diário de Uberlândia que, ao habilitar outro aparelho, passou a ser chantageada pelos ladrões. Mesmo com o procedimento, os criminosos tiveram acesso a informações pessoais da vítima – armazenadas no aparelho – e conseguiram localiza-la.

Os criminosos queriam que o proprietário desvinculasse sua conta do smartphone furtado para que, assim, eles pudessem vender o celular. O bloqueio feito pelo proprietário, no entanto, não foi via Central de Bloqueio de Celulares (Cbloc), e sim pela operadora.

Por vários dias, a vítima recebeu ameaças de que seus dados seriam usados para compras indevidas. Ela teve o novo aparelho bloqueado pelos bandidos, que tentaram intimida-la ao afirmarem que sabiam seu endereço. Pelo menos três boletins foram feitos junto à Polícia Militar para que o proprietário e seus familiares fossem resguardados.

O novo aparelho foi desbloqueado depois que a operadora avaliou o caso e medidas extras foram tomadas pelo proprietário, como colocar seu CPF sob alerta em sistemas de proteção ao crédito, com a informação de que seus dados poderiam ser usados indevidamente.

Segundo a secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública, caso o celular tivesse sido bloqueado pela Cbloc, esse tipo de problema seria evitado, já que o aparelho seria inutilizado.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »