06/06/2019 às 14h31min - Atualizada em 06/06/2019 às 14h31min

Ferramenta que bloqueia celulares busca reduzir índices de furto e roubo

Foram 529 pedidos na Central de Bloqueio de Celulares (Cbloc) de janeiro a maio deste ano em Uberlândia

SÍLVIO AZEVEDO
Ferramenta virtual bloqueia o aparelho em até 24h impedindo que arquivos e informações pessoais sejam acessados | Foto: Sesp/Divulgação
Ter o celular roubado ou furtado gera transtornos para o cidadão. Segundo a polícia, esse tipo de crime alimenta o comércio ilegal de equipamentos, o que faz com que sempre haja mercado de compra e venda. Em Uberlândia, de janeiro a abril deste ano, a Secretaria de Estado de Segurança Pública de Minas Gerais (Sesp) registrou 1.591 ocorrências envolvendo furtos ou roubos de aparelhos. Para dificultar o comércio destes equipamentos, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) criou, em 2018, a Central de Bloqueio de Celulares (Cbloc), plataforma para inutilizar celulares furtados e roubados em Minas Gerais.

Segundo o superintendente de Integração da Secretaria de Estado de Segurança Pública, Leandro Almeida, a Cbloc é uma importante ferramenta no combate aos crimes de furto e roubo de celulares. “O sistema foi desenvolvido em parceria com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), criando uma lista mundial que inviabiliza a utilização de aparelhos registrados em todo o mundo.”

Após o registro da solicitação, em até 24h, a ferramenta virtual bloqueia o aparelho impedindo que arquivos e informações pessoais sejam acessados, além de fazer com que o equipamento perca valor de mercado. “O bloqueio acontece de forma mais rápida, pois a Sesp tem o poder de bloquear e desbloquear um aparelho mediante solicitação realizada através da ferramenta”, explicou Almeida.
Esse sistema foi utilizado, por exemplo, para o bloqueio dos aparelhos roubados em uma loja do Center Shopping, no último dia 30 de maio, crime que foi noticiado pelo Diário. 

A Cbloc, no entanto, ainda é pouco conhecido pela população. Dados passados pela Sesp mostram que, entre janeiro e maio de 2019, foram realizadas 529 solicitações de bloqueio de celular na 9ª Região Integrada de Segurança Pública (Risp) de Uberlândia.

A vendedora Renata Bonino, 23 anos, por exemplo, não conhecia o sistema. Ela teve o aparelho celular furtado no balcão da loja que trabalha na manhã de terça-feira (4) e, mesmo após lavrar o boletim de ocorrência, não havia solicitado o bloqueio. “Eu não sabia da existência da plataforma. É bom pois impede que a pessoa acesse o telefone”, disse.

Já o comerciante Luiz Augusto Santos, 50 anos, proprietário de uma loja de manutenção de celulares, já teve que solicitar o bloqueio de aparelhos de clientes que foram furtados dentro do estabelecimento. “Foi há alguns anos. Como tinha as informações dos celulares, fiz o boletim de ocorrência, procurei as operadoras e pedi o bloqueio automático do aparelho”.

COMO FUNCIONA
 Para fazer o bloqueio, basta acessar o site da
Central de Bloqueio de Celulares (Cbloc)  até 48h após o registro da ocorrência e escolher entre utilizar o número da linha ou o IMEI do aparelho, que é a identificação global e única equipamento móvel.

É preciso ter registrado o boletim de ocorrência em uma unidade policial para realizar o procedimento, pois será solicitado o número do Registro de Eventos de Defesa Social (Reds) para anexar ao formulário.

Em alguns casos, como o do roubo à loja do Center Shopping, a própria Polícia Militar (PM) solicita o serviço para agilizar o bloqueio e impedir que o material seja comercializado.

Leandro Almeida frisou a importância da participação popular. “É importante que o cidadão participe desse processo pois o bloqueio contribui para a diminuição de registro de ocorrências de furtos e roubos, pois atinge em cheio o produto comercializado”, disse.

Caso tenha alguma dúvida na hora do preenchimento do formulário, a Sesp disponibiliza o telefone 0800-283-0190 como um canal de suporte. Se o aparelho for encontrado após o cadastro na Cbloc, a Sesp orienta o proprietário a procurar uma unidade policial que dará andamento ao termo de restituição e a realização do pedido de desbloqueia via Anatel.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »