09/07/2019 às 08h36min - Atualizada em 09/07/2019 às 08h36min

A beleza entre os deslocamentos

Espetáculo "Dispositivo Coreográfico" é apresentado no Teatro Municipal de Uberlândia

ADREANA OLIVEIRA
“Dispositivo coreográfico” tem novos dançarinos no elenco e volta a ser apresentado hoje | Foto: Luana Diniz/Divulgação

Em novembro do ano passado o Provisório Corpo Grupo de Dança estava às voltas com a expectativa da estreia de seu espetáculo “Dispositivo Coreográfico”, concebido pouco mais de um ano após a formação do grupo. Nesta terça-feira (9), no projeto Boca de Cena, eles terão oportunidade de mostrar novamente ao público este que é um diálogo entre a Filosofia e a dança.

Com direção e concepção de Ricardo Alvarenga, que também é professor, o grupo é um projeto de extensão do Curso de Dança da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) que desde sua concepção investiga o que chamam de uma coreografia maquínica, que reflete determinados padrões sociais e possibilidades relacionais da vida em sociedade.

De novembro pra cá algumas pessoas do elenco saíram, outras entraram e a presença delas individualmente e coletivamente modificam o trabalho. “Embora a gente esteja com o mesmo espetáculo, ele se torna diferente a partir de presenças diferentes uma vez que cada um ali contribui a seu modo, com suas particularidades”, disse Alvarenga.

O diretor afirma que mesmo apesar de tanto ensaio junto com o ensaiador Fernando Borges Barcellos – o grupo se reúne três vezes por semana – a expetativa antes de ir para o palco é cheia de emoções e uma certa tensão, mesmo não se tratando de uma estreia. “São muitas variáveis, tem muita gente envolvida no espetáculo que tem cerca de 50 pessoas trabalhando entre dançarinos e equipe técnica que trabalha nos bastidores”, comentou.

O diretor Ricardo Alvaregna explica que trata-se de um trabalho de dança contemporânea que desdobra complexidades do simples em uma estrutura coreográfica ao mesmo tempo comprometida com as regras do dispositivo e aberta a desvios e possibilidades relacionais.

“A investigação processual partiu de estudos do conceito filosófico de dispositivo, em Michel Foucault e Giorgio Agamben, refletindo sobre modos disciplinares de conformação de sujeitos, contrapostos a modos de individuação, capazes de torná-los agentes de mudanças em si mesmos, nos outros e no meio em que vivem”, diz a sinopse.

Com figurino de Renata Lima, maquiagem de Giovanna Lima, design de luz gráfico de Marcelo Camargo, operação de drone de Roberto Camargo e produção de Vanessa Garcia, “Dispositivo coreográfico” insiste na repetição de uma sequência de movimentos e deslocamentos. A concepção musical é de PeloAmorDjs.

Os dançarinos que compõem o grupo atualmente são: Alexandre Roiz, Augusto Moraes, Bianca Lana, Bruna Freitas, Bruno Ribela, Bruno Silva, Dhyego Bertoldo, Ediberto Rocha, Fernanda Oliveira, Guilherme Caeu, Jemerson Bob, Jéssica Ribeiro, Lara Barcelos, Lang Soares, Lettícia Ferreira, Lucas Marques (Luke), Luciana Almeida, Matheus Davi, Matheus Gotti, Milene Chinquio, Victoria Burim, Yasmin Gusella e Yumi Ishikawa.
 
SERVIÇO
O QUE: Boca de Cena
ESPETÁCULO: “Dispositivo Coreográfico”
QUEM: Provisório Corpo Grupo de Dança
QUANDO: terça-feira (9), às 20h
LOCAL: Teatro Municipal de Uberlândia
CLASSIFICAÇÃO: livre
INGRESSOS: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada) à venda com os bailarinos do grupo e na bilheteria do teatro a partir das 12h
INFORMAÇÕES: 3235-1568
 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »