27/06/2019 às 08h10min - Atualizada em 27/06/2019 às 17h26min

Ataques são registrados em Uberlândia e Uberaba durante a madrugada

Mulher que passava pelo local foi atingida por um tiro no rosto em Uberaba; explosões também ocorreram em Uberlândia e dez pessoas foram presas

CAROLINE ALEIXO E VÍNICIUS LEMOS
Após cerco e negociação, PM conseguiu prender 10 criminosos e apreender diversas armas de fogo | Foto: PM/Divulgação
Dez homens foram presos e pelo menos onze armas longas, incluindo uma metralhadora .50, foram apreendidas no fim da manhã desta quinta-feira (27), depois de ataques a três agências bancárias em Uberaba. Criminosos invadiram a cidade, durante a madrugada, e fizeram diversas pessoas reféns. Houve troca de tiros e ataques contra policiais e até Corpo de Bombeiros. Segundo a Polícia Militar, pelo menos duas vítimas foram baleadas*. Também na madrugada, ataques foram registrados em Uberlândia e a polícia acredita que podem ter ocorrido para evitar reforço de efetivo policial à cidade vizinha.

A PM de Uberaba informou que dez veículos com cerca de 25 criminosos armados participaram do crime. Quatro pessoas foram feitas reféns e os ladrões trocaram tiros com a polícia durante o ataque a um dos bancos. Um homem foi colocado no capô de um dos carros usados para fuga como escudo humano.

Durante o tiroteio, uma jovem de 21 anos foi atingida na cabeça quando passava pela avenida Doutor Fidélis Reis. Ela foi socorrida com vida e levada para o pronto-socorro do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM).

Outra vítima foi um homem baleado na perna. Ele seria funcionário de uma concessionária rodoviária e teve o carro roubado pela organização criminosa. A vítima também foi socorrida ao hospital e segue internada, sem risco de morrer.

Os criminosos evadiram pela BR-262 sentido à Araxá e, de acordo com a polícia, um cerco foi feito para interceptar um caminhão em que estavam sete vítimas tomadas como reféns pelos dez homens da quadrilha. Policiais de outras cidades reforçaram o efetivo da PM de Uberaba. Pelo menos dois helicópteros foram usados no cerco, incluindo o Pegasus de Uberlândia.

A soltura das vítimas foi negociada e finalizada já quase no início da tarde. O comando da 5ª Região da Polícia Militar (RPM) esteve no local para fazer a parlamentação com os bandidos, que exigiam a presença da imprensa da região para que fossem negociados os termos da rendição. Eles pediam garantias de integridade física. Depois de duas horas de conversa, os reféns foram soltos e os criminosos se entregaram.


Cerco foi feito na região para abordar criminosos que participaram dos ataques | Foto: Reprodução/WhatsApp

 

TIROS CONTRA BOMBEIROS
Além da troca de tiros com a Polícia Militar, foram contatos 17 disparados de arma contra uma unidade do Corpo de Bombeiros em Uberaba. Duas viaturas na garagem foram atingidas e também paredes do local. Foram recolhidas na manhã desta quinta cápsulas de munição de fuzis e miguelitos, que são pregos retorcidos e soldados para furarem pneus.

Prédio do Corpo de Bombeiros em Uberaba, próximo ao local do roubo, foi atingido por tiros | Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação


UBERLÂNDIA

Paralelamente aos crimes em Uberaba, explosões ocorreram em Uberlândia. A primeira ocorrência foi próximo à empresa de valores Rodoban, no bairro Brasil. Devido à explosão, houve interrupção de energia no local e equipes da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) foram para o local fazer os reparos. Outras explosões também foram ouvidas pela cidade.
 
 
Um segundo caso foi registrado nas proximidades do 9° Batalhão de Policiamento Especial (BPE). Não houve feridos. A PM também chegou a receber informações de que agências do Banco do Brasil e do Itaú, na mesma região em Uberlândia, também teriam sido atacadas. Mas a informação não foi confirmada, se tratando dos mesmos fatos conforme informado pelo comando em Uberlândia.
 
A suspeita é de que os criminosos tentaram simular os ataques para desviar o foco do comando local da PM para a cidade de Uberaba, bem como atrasar o deslocamento.

* ERRATA: O Diário errou ao informar que a vítima baleada no rosto morreu. O texto foi corrigido às 11h41 desta quinta-feira (27).



Autores explodiram terreno ao lado da empresa de valores Rodoban em Uberlândia | Foto: Vinícius Lemos

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »