17/06/2019 às 13h21min - Atualizada em 17/06/2019 às 13h21min

Projeto UdiBike deve voltar até dezembro em Uberlândia

Organização do projeto fala em trazer bicicletas mais modernas e práticas

SÍLVIO AZEVEDO
Dinheiro para o projeto já está disponível e as bicicletas compartilhadas devem retornar até o final do ano na cidade | Foto: Arquivo Diário de Uberlândia
Muitos usuários das bicicletas compartilhadas do projeto UdiBike foram surpreendidos com a interrupção do projeto, anunciada em maio deste ano. A mensagem causou certo desconforto, já que o serviço era conhecido por oferecer uma alternativa para fugir do trânsito ou para momentos de lazer e atividade física. Mas a frustração está perto do fim.

De acordo com o coordenador da ONG Instituto Saúde e Equilíbrio, Clovison Elberth, idealizadora do UdiBike, o serviço não foi encerrado, apenas interrompido. O projeto já tem duas aprovações na Lei de Incentivo ao Esporte, o dinheiro já está disponível e as bicicletas compartilhadas devem retornar até o final do ano.

“A empresa que fazia o serviço de automação e de bicicletas específicas desistiu do contrato, mas já estamos preparando um relançamento com um novo fornecedor e novas bicicletas, mais modernas, com mais conectividade, com rastreio de GPS e um sistema de uso mais prático. Mas a isenção de cobrança segue”, explicou Clovison. O serviço atendia uma média de 2 mil viagens por mês no último ano, com um número acima de 500 usuários mensais.

Apoiadora do projeto, a ITV Urbanismo segue acompanhando os passos para a retomada do UdiBike, segundo o coordenador de projetos sociais da empresa, Leandro Carneiro. “A mobilidade urbana é um dos componentes do urbanismo, uma sinergia aos nossos negócios e agrega valor à cidade. Estamos auxiliando na prospecção de um novo operador do sistema, auxiliado em decisões. Não apena patrocinamos, mas damos um apoio para continuidade”.

A designer Danielle Stefane Araújo, 19, é uma das usuárias que lamentou a interrupção do projeto. Ela usava as bicicletas pelo menos duas vezes ao dia, durante a semana. “Tomei gosto por andar de bicicleta e praticar o ciclismo com o projeto. Comecei em novembro de 2018 vendo o pessoal utilizando e acabei me interessando”, disse.

“Eu achei bem ruim o fim porque conheço pessoas que utilizam para trabalhar, para o dia a dia, e para fazer um esporte. A cidade acaba perdendo com isso [pausa do projeto]”, falou a designer.

O bancário Wedesley Botelho, 44, outro usuário das bikes compartilhadas, utilizava os veículos como meio de transporte para ir e voltar do trabalho. “Resolvi mudar o estilo de vida, deixar de utilizar o transporte coletivo e ia ao trabalho a pé, mas com as bicicletas, eu ganhava tempo. Como moro a nove quilômetros do trabalho, eu caminhava 6 km e pedalava 3 km. Estava à procura de uma atividade física e acabei fazendo duas.”

PROJETO COM CRIANÇAS
Além das bicicletas compartilhadas, a UdiBike contempla as oficinas que ensinam alunos de escolas públicas municipais a andar de bicicleta nas escolas em turno escolar. “O projeto foi pioneiro no país e deve retornar a ativa em agosto deste ano”, sinalizou Clovison.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »