26/04/2019 às 13h49min - Atualizada em 26/04/2019 às 13h49min

Número de roubo de carros cresce no 1º trimestre em Uberlândia

Alta varia de 7% a 12%, de acordo com órgãos de segurança pública

NÚBIA MOTA
Delegacia Polícia Civil deflagrou operação nesta semana para prender quadrilha especializada em roubo de carros na cidade | Foto: Arquivo/Diário de Uberlândia
O número de roubo de veículos cresceu em Uberlândia durante o primeiro trimestre deste ano, embora o percentual de aumento varie conforme os órgãos estaduais. Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), no primeiro trimestre de 2019, 232 veículos foram roubados em Uberlândia, o que representa uma alta de 12% em relação ao mesmo período de 2018, quando houve 207 casos do mesmo tipo na cidade.

Já o percentual de aumento da Polícia Militar para os três primeiros meses deste ano é diferente, chegando a 7% a mais de roubos de veículos do quem 2018. A corporação, no entanto, não soube detalhar o número de ocorrências. A alta é atribuída ao crescimento populacional da cidade e à abertura de novos negócios, que fazem crescer a frota local e, consequentemente, crimes relacionados.

O aumento do trimestre repete uma realidade já observada em anos anteriores. Segundo a Sesp, entre 2017 e 2018, o crescimento no número de roubo de veículos foi de 22%, passando de 833 para 1.024 em doze meses.

De acordo com o capitão Miguel Ângelo Tatis, chefe da seção de planejamento da 9ª Região da Polícia Militar (9ª RPM), apesar do crescimento no número de roubos a carros, a corporação tem se empenhado para tirar de circulação os criminosos especializados nesse tipo de crime. Nos últimos 3 anos, houve um aumento de 18% no número de prisões e de 40% na recuperação dos veículos roubados e furtados, quando não são empregados o uso de violência física e ameaça. 

Além da atuação da PM por meio de prisões e identificações de criminosos, o capitão Miguel afirma que é preciso que a população também se aproxime dos policiais do bairro, do comandante local e que participe das redes de proteção comunitária. Em outubro, 21 Bases de Segurança Comunitária foram implantadas em bairros periféricos, como Pequis, Canaã e Tubalina, com gestores servindo de referência em um momento de dificuldade e também para passar dicas de prevenção.

"A polícia faz o papel dela, é o dever do Estado, mas é uma responsabilidade de todos, por isso a população precisa se envolver, tomando algumas atitudes preventivas, participando do processo de setorização, indo nas reuniões comunitárias nas companhias”, disse o capitão Miguel.

VÍTIMAS
Com a chegada dos serviços de motoristas por aplicativos em Uberlândia, desde setembro de 2016, é frequente os roubos desses profissionais, mas segundo o capitão Miguel, eles não são as principais vítimas. Uma professora de ensino infantil, que não quis ter o nome divulgado, por exemplo, teve o carro levado por dois assaltantes no fim do ano passado, quando chegava em casa, no bairro Vida Nova. O veículo era dirigido pela filha, uma estudante de 22 anos, rendida por uma arma de fogo.

“O sol ainda estava quente. Eles estavam de uniforme e como por aqui tem muita obra, achei que eram trabalhadores. Como sou professora, levaram minha caixa com brinquedos, caixa de som, que usava com as crianças em sala de aula. Acharam o carro, seis dias depois, só a carcaça. Tudo que puderam, levaram. Levei para consertar, mas era melhor que a polícia não tivesse achado. Vendi. Tive um prejuízo de uns R$ 12 mil com tudo, mas o pior prejuízo é o trauma que vai ficar para sempre. Toda vez que vejo dois numa moto, acho que são assaltantes”, afirmou a professora.

No último dia 13, um motorista de aplicativo, além de ter o carro e o celular roubado, sofreu cortes nas mãos com uma faca e foi amarrado e abandonado às margens do Córrego do Óleo, no bairro Joana D’Arc. Ele foi chamado para buscar um cliente em um shopping da cidade, com destino ao bairro Dom Almir, e no percurso foi rendido. O carro foi achado no mesmo dia e o criminoso, de 27 anos, foi preso um dia depois.

OPERAÇÃO CERTA BONUM

Operação Certa Bonum

Operação Certa Bonum


Marcos Tadeu, Gabriela Damasceno e Marcelo Gonçalves em coletiva realizada na terça-feira (23) | Foto: Igor Martins

 
Sete pessoas foram presas preventivamente, na última terça-feira (23), após a deflagração da Operação Certa Bonum pela Polícia Civil (PC) de Uberlândia. Entre os autores estão seis homens e uma mulher que estão envolvidos em pelo menos 15 roubos de carros na região desde 2018. Todos os presos, com exceção da mulher, já tinham passagens pela polícia.

A Delegada de Furtos e Roubos da PC, Gabriela Damasceno, afirmou que os autores não praticavam os roubos apenas em Uberlândia. Outras cidades do Triângulo Mineiro e até mesmo rodovias que cortam o município foram alvos das práticas criminosas. “É importante que a população de Uberlândia tenha cuidado. A média de roubos e furtos de veículos na cidade é de 10 por dia”, alertou.

Foram cumpridos seis mandados de prisão e outros 15 de busca e apreensão, além da efetivação de uma prisão em flagrante por posse ilegal de uma submetralhadora de fabricação caseira. As ações aconteceram em cerca de dez bairros da cidade incluindo Tibery, Monte Hebron, Custódio Pereira, Pequis, Alto Umuarama e Jardim Brasília.


Os suspeitos serão indiciados por roubo majorado e posse e porte ilegal de armas de fogo. O próximo passo das investigações é descobrir o que os criminosos faziam com os veículos após o roubo e posteriormente analisa
r o possível vínculo entre os autores.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »