25/04/2019 às 11h55min - Atualizada em 25/04/2019 às 13h22min

PC identifica motorista que matou mulher em acidente na Estrada do Pau Furado em Uberlândia

Acidente foi registrado no início do mês contra a vítima e os dois filhos dela

IGOR MARTINS
Coletiva foi realizada nesta manhã na Delegacia de Polícia Civil | Foto: Igor Martins
A Polícia Civil (PC) de Uberlândia identificou o motorista que matou uma mulher de 35 anos e feriu os dois filhos dela em um acidente na Estrada do Pau Furado no dia 7 de abril deste ano. O filho de seis anos permanece internado no Hospital de Clínicas desde o dia do acidente e o quadro é estável. A outra criança, de 9 anos, chegou a ser socorrida até uma Unidade de Atendimento Integrado (UAI) e passa bem. 

As investigações começaram logo após o caso ter sido repassado à polícia para instauração do inquérito. A Polícia Civil informou na manhã desta quinta-feira (25), durante coletiva de imprensa, que a identificação do criminoso e do carro ocorreu três dias após o acidente, no dia 10.

Segundo Daniela Novais Santana, delegada do caso, o grupo de investigadores e os peritos trabalharam em conjunto para chegar até a localização do suspeito. A chefe do 3º Distrito Policial afirmou que o carro foi encontrado na casa do irmão do autor, no bairro Jardim Sucupira, escondido sob uma lona. Por se tratar de ser um parente próximo ao criminoso, o irmão é isento de pena no caso de favorecimento pessoal.


 Carro envolvido no acidente foi localizado três dias após o fato em Uberlândia | Foto: Igor Martins 

VERSÕES
O suspeito se apresentou à PC esta semana para prestar esclarecimentos sobre o caso. O motorista alegou que não fez uso de bebida alcóolica no dia do acidente. Além disso, o autor afirmou que estava a 60 km/h e que colidiu com as vítimas quando ultrapassou uma motocicleta na rodovia.

Os investigadores do caso ouviram a testemunha que prestou os primeiros socorros às vitimas na Estrada do Pau Furado. De acordo com ela, o suspeito havia passado em alta velocidade com os faróis apagados. A pessoa disse também que não viu nenhuma motocicleta no caminho.

A mulher do suspeito disse que ele teria comparecido a um evento conhecido como “Cavalgada”. Mesmo fazendo uso de bebida alcóolica eventualmente, ela afirmou aos policiais que o marido não havia ingerido nenhum líquido com teor alcóolico no dia do acidente.

A perícia compareceu ao local do acidente e não constatou nenhum sinal de frenagem no asfalto da rodovia. Além disso, após uma verificação no veículo do autor, foi constatado que os faróis não estão funcionando corretamente, os pneus estavam carecas e a direção do veículo flácida, o que dificulta a dirigibilidade do carro.

Com a conclusão do inquérito, cabe agora ao Poder Judiciário decidir pela decretação ou não da prisão preventiva do motorista. Ele foi indiciado por homicídio doloso consumado, duas tentativas de homicídio doloso e está enquadrado nos artigos 304 e 305 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que incidem na omissão de prestação de socorro às vítimas após um acidente e na evasão do local do acontecido, para fugir da responsabilidade penal ou civil que lhe possa ser atribuído. O autor pode ter um pena de até 38 anos.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »