19/03/2019 às 10h49min - Atualizada em 19/03/2019 às 14h16min

Câmara realiza sessão fora do plenário em Uberlândia

Transferência aconteceu devido à ocupação de pais e estudantes da zona rural no Plenário

VINÍCIUS LEMOS
Foto: Vinícius Lemos
Devido à ocupação de pais e estudantes da zona rural no Plenário, a sessão ordinária dos Vereadores da Câmara Municipal de Uberlândia acontece nesta terça-feira (19), na sala João Pedro Gustin. Os manifestantes pedem normalização do transporte escolar na região.

Além disso, aconteceu no início desta manhã a abertura do Parlamento Jovem, na Praça Jacy de Assis. A solenidade, que deveria acontecer no Plenário, contou com a presença de escolas que participam do projeto e uma escola visitante.

A previsão é de que haja uma sessão extraordinária ainda nesta terça-feira (19) para votar quase 30 projetos. Dessa maneira, a discussão sobre Cargos e Carreiras ficaria para esta quarta-feira (20).

OCUPAÇÃO
Cerca de 20 pessoas ocupam o Plenário da Câmara Municipal de Uberlândia desde a manhã de segunda-feira (18). Eles protestam pelo normalização do transporte de estudantes que moram na zona rural de Uberlândia. Segundo eles, os transporte em 2019 dificulta o acesso dos alunos às salas de aula, com poucos veículos ou ônibus que não conseguem trafegar em determinados pontos da zona rural.

Desde a noite de segunda o Plenário está isolado, a imprensa não tem contato direto com os manifestantes que permanecem no local. Quem sai não pode voltar ao lugar, mas há acesso a banheiros e água no Plenário. Segundo o pai de um estudante, Gilvane Santos, a noite foi de poucas cobertas e sem colchão. Um dos manifestantes que deixou o carro próximo ao Plenário, eve o veículo arrombado e alguns pertences furtados. Na manhã desta terça cartazes foram colados nas portas de vidro do Plenário. 

“Vamos resistir até o final, nem que que a gente fique dois ou três dias, pois só dessa forma para conseguirmos transporte para essas crianças. Ontem ligaram ar frio e não tínhamos agasalhos. Crianças resfriaram, mas não vamos desistir”, disse.

Por conta da ocupação, além da sessão ordinária ter sido deslocada para a salada João Pedro Gustin, o lançamento do Parlamento Jovem aconteceu teve menor número de participantes. Das cinco escolas esperadas para participação dos jovens no projeto do Legislativo, apenas duas foram, sendo que uma delas estava como visitante. As demais, segundo apurado pelo Diário, deixaram de ir com receio da manifestação.

O presidente da Câmara lamentou os fatos. “Atrapalha. O parlamento era para ser inaugurado com instalações melhores, mas não impediu que acontecesse. A casa é da manifestação, mas devemos respeitar cada espaço. Vamos continuar o nosso trabalho. A Câmara abriu diálogo com Ministério Público, com o poder Executivo, marcamos reuniões e nós estamos pagando o pato?”, disse.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »