28/11/2018 às 07h50min - Atualizada em 28/11/2018 às 07h50min

Buracos se alastram pela cidade

Prefeitura esclarece que asfalto é antigo e chuva incessante dificulta o trabalho das equipes de tapa buracos

NÚBIA MOTA
Na avenida Ecológica, no Bosque dos Buritis, serviço feito antes já ficou comprometido | Foto: Núbia Mota
Todo ano é sempre o mesmo problema. Com o início das chuvas, começa também o período de buracos pelas ruas de Uberlândia. Mesmo com 8 equipes de tapa buracos nas ruas, com previsão de passar para 12 grupos em dezembro, alguns pontos da cidade requerem atenção dos motoristas. Devido à chuva, os estragos na pista ficam encobertos pela água, o que acaba dificultando a visualização e causando acidentes ou estragos nos automóveis. Até mesmo algumas vias que passaram recentemente por recapeamento já têm sinais de deterioração do asfalto.

É o caso de dois pontos num trecho de 4 metros da avenida Nicomedes Alves dos Santos e um na avenida Getúlio Vargas, que precisaram ser refeitos, por causa de umidade. Segundo o secretário de obras, Norberto Nunes, os problemas já foram solucionados pelas empresas prestadoras do serviço e que dão garantia de 5 anos, sem custo adicional aos cofres municipais. “Foi por causa da umidade, um defeito na base, não da capa em si, e com o trânsito pesado, causou o problema. Foi feito um recapeamento, não arrumamos a base toda. Mas foram 300 metros quadrados recapeados e deu problema só em 4 metros. Não tem nada de assustador”, disse o secretário.

Segundo a Prefeitura, a massa asfáltica da cidade tem, em média, entre 30 e 40 anos, com exceção dos novos bairros, e, por isso, fica mais propensa a se deteriorar por causa de infiltrações. De janeiro a outubro deste ano, foram tapados 42.107 buracos, mas com quase um mês de chuvas incessantes, a Secretaria de Obras enfrenta dificuldades de manter o serviço e de seguir com o cronograma de recapeamento de ruas com maior fluxo de carros, onde também já surgiram defeitos.

Desde o início de 2018, já foi realizada uma etapa de recapeamento e a segunda está em andamento, totalizando 37 vias reformadas, com uma estimativa de durabilidade do asfalto de pelo menos 10 anos. Para o ano que vem, está prevista a terceira etapa de trabalhos e o recapeamento de mais 263 km.
 
RECLAMAÇÕES
 
Em um trecho na avenida Ecológica, no bairro Bosque dos Buritis, recentemente houve a execução do serviço de tapa buraco, mas com o grande volume de água pluvial, os buracos retornaram e dificultam a passagens de carros no local. “É buraco aqui, buraco ali. Passo aqui todo dia e estou tendo cuidado, porque vivia com o carro desalinhado, estourando pneu”, disse a vendedora Antônia Roque. “Acho que eles tapam esses buracos com areia, porque chove e lava tudo. Está um perigo de cair e arrebentar a roda”, disse o vendedor Lucas Batista. De acordo com o secretário de obras, Norberto Nunes, devido à idade média do pavimento da cidade, de quase 40 anos, é comum que os buracos retornem. “Estamos com toda a malha viária de Uberlândia com a vida útil já vencida. Por isso, consertamos um buraco hoje, mas quando começa a chover novamente, se estiver trincando, entra a água e umedece a base, que é o cascalho, e o buraco volta”, disse Norberto.

No início do mês, o borracheiro Leandro Pereira de Lima chegou a atender de três a quatro clientes por dia por causa de cortes nos pneus dos carros. Mas com os trabalhos de recapeamento e tapa buracos, nas últimas 3 semanas, ele disse que os serviços diminuíram. “Chega no fim do ano, sempre aumenta a procura, mas com o trabalho de recapeamento parece que tem resolvido o problema. Nas últimas semanas, só atendi uma pessoa com corte no pneu”, disse Leandro.
Entre as ruas que fazem parte da segunda etapa de recapeamento, em andamento, estão a avenida Dimas Machado, no bairro Planalto, a avenida Topázio, no bairro Taiaman, e a rua Níquel e a avenida Coronel José Teófilo Carneiro, no bairro Jardim Brasília. O trabalho na rua Doutor Luiz Antônio Waack, no Umuarama, entre as avenidas Floriano Peixoto e Levino de Souza, foi iniciado mas precisou ser interrompido por causa da chuva. “Nesse mês, foram 25 dias de chuva, aí precisamos parar, porque impede de fazer o trabalho”, disse Norberto. Ontem, que teve um dia de sol, o serviço foi retomado.

As vias escolhidas para receber esse serviço de recapeamento, ainda segundo o secretário de obras, são aquelas que dão mais despesas com a operação tapa buracos, com maior tráfego e onde passam ônibus de transporte público, incluindo as periferias, já que bairros como Taiaman e Marta Helena também entraram no cronograma.
 
RECAPEAMENTO
1ª etapa – 13 vias (anunciada em janeiro)
Confira as ruas e avenidas que receberam o benefício:

 
- Avenida Getúlio Vargas
- Avenida Raulino Cotta Pacheco
- Avenida Américo Salvador Tangari
- Avenida Nicomedes Alves dos Santos
- Avenida Cesário Crosara
- Avenida José Fonseca e Silva
- Avenida Liberdade
- Avenida Belarmino Cotta Pacheco
- Avenida Antônio Thomaz Ferreira Rezende
- Rua João Balbino
- Rua Coronel Tobias Junqueira
- Rua Goiás
- Rua Duque de Caxias
 
2ª etapa – 10 vias (anunciada em julho)
 
- Avenida Nicomedes Alves dos Santos
- Avenida  João Pinheiro
- Avenida Getúlio Vargas
- Avenida Américo Salvador Tangari
- Avenida Afonso Pena
- Rua Tenente Virmondes
- Rua Machado de Assis
- Rua Duque de Caxias
- Rua Olegário Maciel
- Rua Santos Dumont
 
3ª etapa – 14 vias (anunciada em outubro e em andamento)

- Avenida Dimas Machado (entre as avenidas Imbaúbas e Indaiá)
- Avenida Topázio (entre as ruas do Cobre e do Níquel
-  Rua do Níquel (entre a avenida Topázio e a rotatória das Mães)
- Avenida Coronel José Teófilo Carneiro (entre a rotatória das Mães e a avenida Rural)
- Rua República do Piratini (entre as avenidas Floriano Peixoto e Comendador Alexandrino Garcia)
- Rua Dr. Luiz Antônio Waack (entre as avenidas Floriano Peixoto e Levino de Souza)
- Rua Pedro Quirino da Silva (entre as avenidas Comendador Alexandrino Garcia e Levino de Souza)
- Rua Jerônima Lucas Barros (entre as avenidas Segismundo Pereira e Jaime Ribeiro da Luz)
- Rua Augusto César (entre a praça Dr. Duarte e a rua Lúcia Matos)
- Rua Teixeira Santana (entre a avenida João Pinheiro e a rua Princesa Isabel)
- Avenida Afrânio Rodrigues da Cunha (entre a rua Coronel Severiano e a avenida Getúlio Vargas
- Rua Padre Pio (entre as avenidas Getúlio Vargas e Fernando Vilela)
- Rua Dr. Jair Vieira da Mota (entre a rua Rafael Rinaldi e a avenida Engenheiro Azeli)
- Avenida Levino de Souza (entre as ruas Pedro Quirino e Dr. Luiz Antônio Waack)
 
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »